Bolsonaro contraria Guedes e nega ‘imposto do pecado’

Ao falar sobre o tributo proposto pelo ministro da Economia, presidente confundiu Paulo Guedes com Sergio Moro

Por: Redação

O presidente Jair Bolsonaro negou nesta sexta-feira, 24, que seu governo tem a intenção de criar um novo imposto sobre bebidas açucaradas, álcool e cigarro.

A afirmação de Bolsonaro contradiz o ministro Paulo Guedes (Economia), que disse nesta semana em Davos (Suíça) que pediu à sua equipe estudos para a criação de um “imposto do pecado”.

Crédito: Marcelo Camargo/Agência BrasilNa Índia, Bolsonaro negou ‘imposto do pecado’ e confundiu Guedes com Moro

Ao comentar o tema com jornalista na sua chegada a Déli, na Índia, o presidente cometeu uma gafe: trocou o nome de Guedes peço de Sergio Moro (Justiça).

“Ô Moro, aumentar a cerveja não, hein Moro..”, disse. Alertado sobre a gafe, Bolsonaro justificou a troca de nomes. “Acho que o Moro gosta de uma cervejinha…será que ele gosta?”.

Segundo Bolsonaro, a orientação do governo é não “teremos qualquer nenhuma majoração de carga tributária”.

Compartilhe: