Bolsonaro diz que vai acabar com o ‘coitadismo’ das minorias

Segundo o candidato do PSL, as políticas afirmativas de inclusão reforçam o preconceito contra nordestinos, gays, negros e mulheres

bolsonaro coitadismo
Crédito: divulgação Bolsonaro diz que vai acabar com o “coitadismo” de nordestinos, negros, gays e mulheres

A poucos dias do segundo turno das eleições presidenciais, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) afirmou em entrevista à TV Cidade Verde, afiliada do SBT no Piauí, que irá acabar com a política do “coitadismo” de nordestino, gay, negro e mulher. De acordo com o presidenciável, as políticas afirmativas de inclusão reforçam o preconceito contra as minorias.

“Isso não pode continuar existindo. Tudo é coitadismo. Coitado do negro, coitado da mulher, coitado do gay, coitado do nordestino, coitado do piauiense. Vamos acabar com isso”, disse.

Na entrevista, o candidato afirmou que não perseguirá os governadores eleitos pelo PT ou outros partidos opositores, irá tratar ações do MST (Movimento Sem Terra) como terrorismo, e ainda voltou a falar sobre a matéria do WhatsApp publicada pela Folha de S. Paulo. “Primeiro, a matéria surgiu na Folha de S.Paulo, num jornal de sempre, num jornal que não tem qualquer compromisso com a verdade”.

COITADISMO UMA OVA!

Abaixo, selecionamos algumas notícias publicadas na Catraca Livre ao longo dos anos que mostram por que Bolsonaro está, no mínimo, equivocado. Não se trata de “coitadismo”, trata-se de direitos inalienáveis à garantia do bem-estar social das minorias.

O não reconhecimento da “homofobia” como crime, a falta de políticas públicas que garantam ao negro condições de inclusão social, a disparidade do salário entre homens e mulheres e o preconceito com que são tratados os nordestinos quando procuram por melhores condições de vida em outras regiões do Brasil são só alguns dos exemplos.

Se você acha que isso é coitadismo, você não é nem gay, nem negro, nem mulher, nem nordestino. As minorias não são “coitadas”, mas sofrem um sem-número de agressões físicas e morais, a começar pela falta de direitos igualitários. Comece a enxergar um pouco fora de sua bolha.

Compartilhe:

1 / 8
1
02:53
Suzano e Nova Zelândia: os impactos da exposição excessiva
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, disse que o nome do atirador que matou 50 pessoas em uma mesquita em …
2
02:28
Posse de armas: Nova Zelândia dá exemplo de civilidade ao mundo
Após chocar o mundo nesta semana com o massacre de 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, a Nova Zelândia …
3
03:10
Entenda o mistério por trás da boneca Momo
Ainda mais perturbador, o Desafio da Momo está de volta e desta vez a boneca aparece supostamente dentro de vídeos …
4
02:25
Bolsonaro apoia a construção de muro entre EUA e México
Em viagem diplomática a Washington, o presidente Jair Bolsonaro disse apoiar a construção do muro na fronteira entre EUA e México, …
5
01:42
A nova decisão do STF e o futuro da Lava Jato
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a partir de então os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção quando …
6
02:31
Atentado na Nova Zelândia: crimes transmitidos nas redes sociais
Mais um atentado terrorista chocou o mundo nesta sexta-feira, dia 15. Um atirador realizou ataques simuntâneos em duas mesquitas, deixando …
7
01:45
O lugar em que os atiradores de Suzano foram considerados heróis
Uma reportagem publicada nesta terça-feira, 14, pelo portal da Vice indica que os atiradores que invadiram a Escola Estadual Raul …
8
04:17
Últimas notícias sobre a tragédia em Suzano