Bolsonaro pede que propaganda de Alckmin sobre ‘bala’ saia do ar

O candidato do PSL recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral para retirar a peça publicitária do ar

Por: Redação | Comunicar erro
campanha alckmin bala bolsonaro
Crédito: Reprodução/TwitterCampanha de Geraldo Alckmin sobre bala causou polêmica

Uma propaganda da campanha do candidato à presidência da República Geraldo Alckmin (PSDB) tem causado polêmica, e levou o também postulante ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL) a pedir que a peça seja retirada do ar.

De acordo com informações do jornal O Globo, a campanha de Bolsonaro recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que o comercial sobre bala (cujo mote “não é na bala que se resolve”, uma clara crítica da equipe do tucano ao posicionamento do deputado sobre a legalização do porte de arma) sob alegação de que a lei eleitoral foi infringida pelo uso de computação gráfica, e pelo fato de Alckmin não ocupar 75% do tempo da propaganda.

“Vamos fazer a representação pedindo para retirar a propaganda do ar. Primeiro, porque usa computação gráfica e vários recursos de montagem que a lei proíbe. Está fora do que a lei estabelece. E o candidato que deveria participar de 75% da propaganda, nem aparece”, disse Débora Guirra, advogada que trabalha na minuta a ser impetrada pela campanha de Jair Bolsonaro.

alckmin bolsonaro
Crédito: Reprodução/FotomontagemAlckmin ataca Bolsonaro em nova peça para sua campanha

Além da peça veiculada na TV, a campanha do candidato do PSL também pede para que seja retirado do ar o vídeo do jingle publicado por Geraldo Alckmin nas redes sociais, em que Bolsonaro aparece em uma tela com emojis vomitando com o áudio “não dá pra errar de novo”.

No vídeo de um minuto, com música clássica ao fundo, um projétil destrói, em câmera lenta, objetos que fazem referência a problemas do país, como desemprego, fome, falta de saneamento e filas na saúde.

Após mostrar as imagens dos problemas, a bala corre em direção da cabeça de uma menina, mas antes de atingi-la, se transforma na mensagem: “Não é na bala que se resolve”. A mesma crítica a Bolsonaro já apareceu em outras declarações do tucano durante sua campanha.

Acusações de plágio

A propaganda da equipe de Alckmin é similar à peça “Kill the gun” (“Acabe com as armas”), criada pela agência AMV/BBDO, de Londres, para uma rádio local em 2007. Também com música clássica ao fundo, o filme mostra uma bala atravessando a tela e quebrando uma série de objetos. Depois, aparece um menino e, antes que o projétil o acerte, surge a frase: “Pare as balas. Acabe com as armas”.

A semelhança com o vídeo inglês fez com que muitos usuários das redes sociaisacusassem de plágio a publicidade do candidato do PSDB. A equipe do tucano nega as acusações.

Veja a propaganda inglesa:

1 / 8
1
02:09
Maioria reprova mudanças para o trânsito propostas por Bolsonaro
De acordo com uma pesquisa Datafolha, divulgada neste domingo, dia 14, a maioria da população reprova o projeto de lei …
2
02:00
Jair Bolsonaro volta a defender filho Eduardo na embaixada nos EUA
Alvo de críticas desde a última semana por indicar Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos, …
3
04:13
Eduardo Bolsonaro ganha bolsa embaixada de seu pai
O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista que pretende indicar seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, como embaixador do …
4
06:27
Previdência: entenda como pode ficar a sua aposentadoria
A Câmara dos Deputados aprovou com 379 votos o texto-base da reforma da Previdência. No entanto, a proposta ainda pode …
5
01:58
Desastre na Bahia: Barragem se rompe e moradores deixam suas casas
Uma barragem se rompeu na cidade de Pedro Alexandre, a 435 quilômetros de Salvador, na Bahia, na manhã desta quinta-feira, …
6
16:59
Glenn no Senado: confira os principais momentos do depoimento
O jornalista Glenn Greenwald, editor do portal The Intercept Brasil, foi ao Senado prestar esclarecimento sobre o vazamento das mensagens …
7
03:14
Dimenstein: Por que eu defendo a reforma da previdência?
A Câmara aprovou nesta quarta-feira, 10, o texto principal da reforma da Previdência. O placar foi de 379 votos a …
8
03:22
Dimenstein: por que eu defendo Tabata Amaral?
Em meio à polêmica envolvendo a votação pela reforma da Previdência, que aconteceu nesta quarta-feira, 10, no plenário da Câmara, …