Brasileiros relatam explosão em Beirute: ‘Pensei que era guerra’

"Senti um medo muito grande, senti que a guerra recomeçou aqui", afirmou Gilmara Souza moradora da capital do Líbano

Por: Redação

Brasileiros que moram no Líbano relatam como foi a explosão na região portuária de Beirute, nesta terça-feira, 4, e deixou pelo menos 70 mortos e milhares de feridos. Até o momento não se sabe se o ocorrido foi um acidente ou atentado terrorista.

Crédito: Reprodução/GloboNewsBrasileiros relatam explosão em Beirute: ‘Pensei que era guerra’

“Senti um medo muito grande, senti que a guerra recomeçou aqui”, afirmou Gilmara Souza que contou ter, primeiramente, sentido um tremor muito forte enquanto trabalhava em casa. Ela foi se assegurar de que a filha estava bem e neste momento aconteceu a primeira explosão. “A rua toda estava com os vidros quebrados, estilhaços por toda rua. Foram duas explosões, uma seguida da outra”, disse à GloboNews.

Luiz Felipe Czarnobai, de 34 anos, que mora próximo ao porto de Beirute, contou à BBC que estava em seu apartamento com seus três filhos e a babá no momento da explosão. O filho mais velho, de 9 anos, viu a explosão da janela e gritou pela babá Welet Tekle. “Eu estava a três metros e gritei ‘corre'”, contou Luiz Felipe.

Embaixada brasileira em Beirute é atingida por explosão

Vídeo flagra instante em que homem protege criança da explosão

“Welet foi nossa heroína, depois que gritei, foi ela que puxou meu filho Gustavo, de 9 anos, e os salvou dos estilhaços da explosão”, disse o brasileiro que teve todas as janelas do apartamento estilhaçadas. “Eu só vi uma luz forte vindo em direção à janela da sala, ouvi um barulho enorme e os vidros quebrando”.

Luiz Felipe pegou os outros filhos e junto com a babá buscou abrigo embaixo de uma cama, por onde ficaram cerca de 20 minutos. “Agora as crianças estão calmas, estão dormindo, mas estamos sem janelas. Está cheio de vidro, então não dá nem para chegar perto”, contou o brasileiro que mora em Beirute.

Mohammed Calaf é brasileiro e tem uma loja com seu pai, em Beirute, a cerca de 4km do porto onde aconteceu a explosão. Ele contou que  que estava no telefone quando sentiu tudo começar a tremer e falou para o pai entrar no estabelecimento. “Quando ele foi virar pra entrar deu aquele barulho e aquela pressão. Meu pai voou da entrada até o fundo da loja”. Os dois caíram no chão com a pressão da explosão. O pai teve ferimentos leves.

Compartilhe:

Tags:#Mundo