Brumadinho: Fio Cruz alerta sobre surto de febre amarela

Estudo também aponta riscos de dengue, esquistossomose e leptospirose na região afetada pelo rompimento da barragem

Por: Redação | Comunicar erro

Um estudo divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta terça-feira, 5, alerta a possibilidade de surtos de dengue, febre amarela, esquistossomose e leptospirose na região afetada pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão em Brumadinho, Minas Gerais. O agravamento de pacientes com doenças crônicas como hipertensão e diabetes também é citado. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O documento foi elaborado com dados da secretária de saúde da região, sistema de dados públicos e levantamentos anteriores sobre outras tragédias, como a de Mariana, em 2015, e as enchentes em Santa Catarina, em 2008.

De acordo com o estudo, o rompimento da barragem causa alterações bruscas no ecossistema, o que pode matar predadores naturais e criar condições favoráveis para a proliferação dessas doenças e de seus transmissores. O tamanho da tragédia também afeta os serviços de vigilância e de saúde, o que prejudica o controle das enfermidades, aponta a reportagem.

Ricardo Stuckert/Fotos públicas
Crédito: Ricardo Stuckert/Fotos públicasBombeiros trabalham há mais de uma semana na busca por desaparecidos em Brumadinho.

“Temos observado que há um padrão, relativamente comum, nos problemas de saúde que se sucedem a desastres, mesmo em caso de eventos climáticos. Então nós coletamos informações de diferentes sistemas para tentar estimar o impacto na saúde”, afirma um dos autores do estudo, Diego Ricardo Xavier, epidemiologista do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

Outra questão a ser considerada, de acordo com o texto da Folha,  é que os serviços públicos, como coleta de lixo, esgoto e abastecimento de água, estão suspensos na região, o que representa um fator de preocupação, principalmente no consumo de água e alimentos contaminados. Os especialistas da Fiocruz também acionam o sinal vermelho para armazenamento de água de forma incorreta.  “Isso aconteceu em Mariana e acabou tendo um surto de dengue. Nós já estamos no verão, uma época de maior risco. O rio Paraopeba, contaminado agora em Brumadinho, passa ainda por vários municípios”, alerta Xavier.

Compartilhe:

1 / 8
1
08:30
Intercept: os principais pontos do depoimento de Moro no Senado
O ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou esclarecimentos em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado) sobre …
2
04:04
E se Carlos Bolsonaro fosse gay?
O ex-deputado Jean Wyllys fez uma série de posts em sua rede social apontando que Carlos Bolsonaro, o filho 02 …
3
03:02
Empresas usaram disparos no WhatsApp durante eleição de Bolsonaro
Uma reportagem publicada pela Folha de S. Paulo mostra que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para …
4
01:49
Senado diz não e derruba o decreto de armas de Bolsonaro
O Senado votou na terça-feira, 18, o parecer que pede pela suspensão dos decretos que flexibilizam o porte e a …
5
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …
6
03:48
O melhor jornal do mundo faz a pior reportagem para Bolsonaro
Essa é a pior reportagem já publicada num jornal estrangeiro contra Jair Bolsonaro. Por dois motivos: saiu no mais importante …
7
03:47
A estranha conexão entre o caso Najila Trindade e Sérgio Moro
O jornalista Gilberto Dimenstein publicou em sua coluna no site Catraca Livre um texto em que conecta dois casos de …
8
03:04
Entendas os possíveis impactos do vazamento das mensagens de Moro
O site The Intercept Brasil divulgou trechos de mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, …