Brumadinho: Fio Cruz alerta sobre surto de febre amarela

Estudo também aponta riscos de dengue, esquistossomose e leptospirose na região afetada pelo rompimento da barragem

Por: Redação | Comunicar erro

Um estudo divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta terça-feira, 5, alerta a possibilidade de surtos de dengue, febre amarela, esquistossomose e leptospirose na região afetada pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão em Brumadinho, Minas Gerais. O agravamento de pacientes com doenças crônicas como hipertensão e diabetes também é citado. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O documento foi elaborado com dados da secretária de saúde da região, sistema de dados públicos e levantamentos anteriores sobre outras tragédias, como a de Mariana, em 2015, e as enchentes em Santa Catarina, em 2008.

De acordo com o estudo, o rompimento da barragem causa alterações bruscas no ecossistema, o que pode matar predadores naturais e criar condições favoráveis para a proliferação dessas doenças e de seus transmissores. O tamanho da tragédia também afeta os serviços de vigilância e de saúde, o que prejudica o controle das enfermidades, aponta a reportagem.

Ricardo Stuckert/Fotos públicas
Crédito: Ricardo Stuckert/Fotos públicasBombeiros trabalham há mais de uma semana na busca por desaparecidos em Brumadinho.

“Temos observado que há um padrão, relativamente comum, nos problemas de saúde que se sucedem a desastres, mesmo em caso de eventos climáticos. Então nós coletamos informações de diferentes sistemas para tentar estimar o impacto na saúde”, afirma um dos autores do estudo, Diego Ricardo Xavier, epidemiologista do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

Outra questão a ser considerada, de acordo com o texto da Folha,  é que os serviços públicos, como coleta de lixo, esgoto e abastecimento de água, estão suspensos na região, o que representa um fator de preocupação, principalmente no consumo de água e alimentos contaminados. Os especialistas da Fiocruz também acionam o sinal vermelho para armazenamento de água de forma incorreta.  “Isso aconteceu em Mariana e acabou tendo um surto de dengue. Nós já estamos no verão, uma época de maior risco. O rio Paraopeba, contaminado agora em Brumadinho, passa ainda por vários municípios”, alerta Xavier.

Compartilhe:

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …