Campanha ajuda a combater preconceito contra os indígenas

Por: Redação

Na parte noroeste da Amazônia Brasileira, região conhecida como “cabeça do cachorro”, vive o povo indígena Baniwa, que protagoniza a nova campanha do Instituto Socioambiental (ISA). O objetivo da ação é desmistificar a figura do índio isolado como o único indígena digno de ter seus direitos respeitados.

Os Baniwa – etnia que apesar de ter incorporado diversos hábitos não-indígenas mantém sua organização social, sua língua e uma forte relação com o meio ambiente – foram os escolhidos para dar voz à mensagem. A campanha foi criada pela J. Walter Thompson, com produção da Pródigo Filmes.

Os Baniwa protagonizam a campanha da organização
Os Baniwa protagonizam a campanha da organização

“Eles [os Baniwa] se identificaram na hora com a proposta, porque têm a sua identidade questionada com frequência”, salienta Bruno Weis, coordenador de Comunicação do ISA. “Eles se sentem, se reconhecem e se apresentam como índios, mas uma parte da população insiste em dizer que não são.”

Ricardo John, CCO da J. Walter Thompson, comenta que o ISA faz um trabalho fundamental com as populações originárias do Brasil e precisa de apoio para continuar nessa luta. “Mas é impossível obter esse apoio enquanto as pessoas continuarem a ter preconceito”, diz ele.

Para a produção da iniciativa, uma equipe de dois diretores, um assistente de direção e um operador de som com um drone acompanharam toda a rotina dos Baniwa ao longo de seis dias na floresta. A campanha conta com um filme para TV, internet e para cinema, além de outras peças digitais.

Assista ao vídeo:

  • Entre 1985 e 2015, 947 indígenas foram assassinados no Brasil. Para reunir esses dados, foi lançada a plataforma Caci, que mostra os locais em que ocorreram mortes violentas contra essa população. Confira aqui