Últimas notícias:

Loading...

Carnaval 2021 vai passar em branco para artistas negros e blocos afro

Olodum não fará haverá transmissão ao vivo, mas, sim, uma web série de memórias e imagens de outros Carnavais

Ouça este conteúdo

Falta de patrocínio e de grana própria fará com que blocos afros e artistas negros de Salvador fiquem silenciados durante o período do Carnaval de 2021. Enquanto as cantoras Ivete Sangalo e Claudia Leitte farão live com mais de 15 marcas patrocinando, o primeiro bloco afro Ilê Aiyê não terá tambores tocando em uma transmissão ao vivo. Daniela Mercury confirmou a “live da rainha” para sexta-feira (12), enquanto o Olodum enviou comunicado dizendo que não haverá transmissão ao vivo, mas, sim, uma web série memórias e imagens de outros grande carnavais que já realizaram em mais de 40 anos de desfiles.

“Tentamos. Mas esse ano o Carnaval do Olodum será diferente, será virtual sem uma live-show. Em um momento desafiador para toda cadeia do entretenimento, quase 12 meses sem shows, ensaios e eventos corporativos, que geram trabalho e renda para os nossos colaboradores e também para a organização, além de, lamentavelmente, não termos o Carnaval tradicional, ficamos dependentes de apoio/patrocínio externos para realizar o Carnaval virtual com toda infra necessária para um show ao vivo.  A principal intenção da live seria levar alegria, alto astral e emoção ao nosso público, além de  ajudar financeiramente a nossa equipe de músicos, técnicos e produtores que estão sem renda desde o início da pandemia”, diz o Olodum em comunicado.

Se nem Olodum e Ilê Aiyê que têm mais estrutura financeira e são mais conhecidos terão lives, imagine os demais blocos afro. O Guia Negro questionou os blocos Muzenza, Cortejo Afro e Malê de Balê e nenhum deles conseguirá realizar shows transmitidos pela internet durante o Carnaval.

Além dos blocos, cantoras como Margareth Menezes, Marcia Short, Larissa Luz, Nêssa, Mariene de Catro, Nara Couto, Luedji Luna, Majur que em anos anteriores tiveram grande visibilidade durante a folia também não terão shows ao vivo.

O influenciador digital Ismael Carvalho (@ismaelcarvalhoss) trouxe questionamento em post no Instagram. “As lives têm sido, para muitos artistas, a única forma de lucrar durante o caos que estamos passando. De que forma estão vivendo os artistas negros, suas famílias, banda e toda equipe a sua volta?”, questiona. Ismael lembra que os “mesmo artistas brancos continuam sendo os que mais lucram, inclusive no primeiro Carnaval que estamos vivendo durante essa pandemia, mesmo depois de um ano em que afirmamos termos avançado em pautas como essa. É triste assistir o descaso do público, da mídia e dos amigos artistas que se dizem aliados”, ressalta.

Ismael termina a postagem fazendo uma convocação. Vamos seguir nossos artistas: @marienedecastro @margarethmenezes @larissaluzeluz @adamadopagode @musicnessa @carlinhosbrown @lazzomatumbi @timbaladaoficial @araketu @marciashortoficial @psirico @majur @nininhaproblematica @dicerqueira071 @blocoileaiye @nara_couto @maledebaleoficial @hiran @luedjiluna @bandaparangole @gilbertogil @yan_cloud @adelmocase @attooxxa @rafadiasdays @baianasystem @tatauoficial @ninhadabahiaoficial

(Por Guilherme Soares Dias)

Guia Negro

Em parceria com Guia Negro

O Guia Negro faz produção independente de conteúdo sobre viagens, cultura negra e afroturismo, retratando pessoas, lugares, movimentos e negócios de pessoas negras.

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário guianegro

A Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.