Chefe pede para casal ser “menos lésbico” e perde funcionárias

Sheri e Monk largaram o emprego e abriram uma mercearia

Por: Redação | Comunicar erro
Tags: #lesbofobia

Sheri e Alyssa Monk faziam parte da equipe de paramédicos de Pincher Creek, no Canadá. Recentemente, elas pediram demissão depois de o chefe insistir para que elas fossem “menos lésbicas”.

iStock/NejroN

O casal acusa o chefe de discriminação. Segundo Sheri e Monk, elas foram avisadas que não poderiam falar sobre questões pessoais ou demonstrar afeto publicamente.

De acordo com relatos de outros colegas à CBC News, elas não se comportavam mal dentro do ambiente de trabalho. A palavra “esposa” foi o estopim do pedido de demissão.

O casal entrou com recurso na Comissão de Direitos Humanos.

Compartilhe: