Clã bolsonarista migra para rede social de direita

Plataforma, que se assemelha ao Twitter, é a preferida dos líderes mundias de direita

Por: Redação

Fugindo das regras rígidas e do cerco às fake news do Twitter, o clã bolsonarista migrou para uma rede social de direita que se define como um lugar de “discurso livre”, o Parler.

A plataforma, que existe desde 2018, tem interface muito parecida com o Twitter e é usada por vários líderes da direita, em diferentes países. Ela é o terreno propício para quem quer que seja destilar discursos políticos ou religiosos sem sofrer censura.

bolsonaro
Crédito: Reprodução/TwitterFamília Bolsonaro migra do Twitter para rede social de direita

Em publicações no Twitter, 0 senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) informaram seus seguidores que fazem parte da nova rede e os convidaram a acompanhá-los por lá.

“Assim, podemos estar em contato direto com internautas transmitindo aquilo que pensamos de verdade”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

Além de Flávio e Eduardo, o presidente Jair Bolsonaro também já possui perfil no Parler. Os três já tiveram postagens apagadas do Twitter. Elas foram classificadas como fake news ou violaram as regras de uso da plataforma.

Desde que a debandada da família Bolsonaro ocorreu, vários seguidores bolsonaristas postaram também em suas contas no Twitter a adesão à nova rede.

Nos Estados Unidos, a plataforma tem sido usada pela campanha de Donald Trump à reeleição. Alguns conteúdos já passaram a ser publicados na rede de direita.