Ibope: Bolsonaro tem 27%, Haddad, 21%, Ciro, 12% e Alckmin, 8%

No segundo turno, deputado está em desvantagem na disputa com Haddad, Ciro e Alckmin

Por: Redação

Pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira, 26, mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança no primeiro turno, mas teria dificuldade de vencer no segundo para Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Confira o quadro de intenção de voto no primeiro turno:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 27%
  • Fernando Haddad (PT): 21%
  • Ciro Gomes (PDT): 12%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
  • Marina Silva (Rede): 6%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 11%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

O levantamento também perguntou sobre o chamado “voto útil”. Entre os eleitores, 28% afirmaram que a probabilidade de deixar de votar no candidato de sua preferência para evitar que outro que ele não gosta vença a eleição é alta ou muito alta.

Já no segundo turno, a pesquisa aponta os seguintes cenários:

  • Haddad 42% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 16%; não sabe: 4%)
  • Ciro 44% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)
  • Alckmin 40% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)
  • Bolsonaro 40% x 38% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 3%)

Rejeição

Os índices de rejeição também foram mensurados pela pesquisa. Os resultados foram:

  • Jair Bolsonaro: 44%
  • Fernando Haddad: 27%
  • Marina Silva: 27%
  • Geraldo Alckmin: 19%
  • Ciro Gomes: 16%
  • Cabo Daciolo: 11%
  • Henrique Meirelles: 11%
  • Eymael: 10%
  • Alvaro Dias: 9%
  • Guilherme Boulos: 9%
  • Vera Lúcia: 9%
  • João Amoêdo: 8%
  • João Goulart Filho: 7%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

A pesquisa ouviu 2.000 eleitores entre 22 e 24 de setembro em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com 95% de confiança. O levantamento foi encomendado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-04669/2018.

Acompanhe outros conteúdos ligados às eleições deste ano nesta página especial