Últimas notícias:

Loading...

Confira calendário de pagamento da 3ª parcela do auxílio emergencial

Os depósitos nas contas da poupança social digital começam a partir deste sábado, 27, e vai até 4 de julho

Por: Redação

O governo federal divulgou na noite desta quinta-feira, 25, o calendário de pagamentos da terceira parcela do auxílio emergencial de R$ 600. Os depósitos nas contas da poupança social digital a partir de sábado, 27, e vai até 4 de julho.

Os nascidos em janeiro e fevereiro recebem no dia 27; março e abril, na terça (30); maio e junho, na quarta (1º); julho e agosto, na quinta (2); setembro e outubro, na sexta (3); e novembro e dezembro, no sábado (4).

Crédito: Istock/Caíque de AbreuO governo também confirmou que irá pagar mais três parcelas do auxílio emergencial, totalizando R$ 1.200

No primeiro momento, o valor estará disponível apenas para pagamento de contas, boletos e compras por meio do cartão de débito digital.

Já quem preferir sacar o valor em dinheiro, o valor estará disponível de 18 de julho e até 19 de setembro.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


Veja as datas para saque em dinheiro:

Nascidos em Saque em dinheiro a partir de
Janeiro 18 de julho
Fevereiro 25 de julho
Março 1º de agosto
Abril 8 de agosto
Maio 15 de agosto
Junho 29 de agosto
Julho 1º de setembro
Agosto 8 de setembro
Setembro 10 de setembro
Outubro 12 de setembro
Novembro 15 de setembro
Dezembro 19 de setembro

Parcelas extras

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo vai pagar mais três parcelas do auxílio emergencial, mas com valores diferentes do atual. Os pagamentos devem ser decrescentes –R$ 500, R$ 400 e R$ 300, totalizando R$ 1.200.

Os valores chegaram a ser anunciados ontem pela manhã pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, em uma rede social. Mas, minutos depois, a postagem foi apagada.

Crédito: DivulgaçãoOs depósitos nas contas da poupança social digital começam a partir deste sábado, 27,

O auxílio emergencial foi criado para ajudar trabalhadores informais, desempregados e a população cadastrada em programas sociais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Inicialmente, estavam previstas três parcelas no valor de R$ 600, sendo que a última delas está sendo paga neste neste mês. No entanto, diante da continuidade da crise do novo coronavírus, o governo decidiu pela liberação de parcelas extras, mas o valor ainda não foi definido.

Deputados querem manter as parcelas em R$ 600, mas o governo afirma que isso não é possível e prejudicaria a economia do país.

Recentemente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a afirmar que vetará caso o Congresso aprove projeto que mantenha o valor do benefício em R$ 600.

Compartilhe: