Conheça Murilo Resende, indicado para coordenar o Enem

Nome do economista citado por Jair Bolsonaro vem dividindo opiniões

Por: Redação | Comunicar erro

Murilo Resende vem dividindo opiniões publicamente desde que foi  indicado pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, para o cargo de diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep) – responsável, inclusive, pela prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O nome do economista, que dava aulas em uma instituição privada de ensino superior em Goiás, foi sugerido por profissionais que fazem uma espécie de fiscalização informal em livros didáticos.

murilo resende inep
Crédito: Reprodução/YoutubeMurilo Resende, indicado para o cargo de diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep)

Em audiência pública no Ministério Público Federal, em 2016, Resende disse a frase que vem dividindo opiniões nas redes sociais: “Professores pregam o aborto, incesto e pedofilia”.

“Não se conta isso para os pais, essa é a farsa de vocês. Vocês falam: ah, é simplesmente uma questão de respeito em relação aos homossexuais. É só isso o que a gente quer ensinar […] O que os professores estão querendo com isso é poder. Um poder que eles querem roubar e sequestrar da família”, declarou.

De acordo com o jornal “O Globo”, em uma página em que oferece cursos presenciais e online, Murilo diz que os ensinamentos de Olavo de Carvalho foram ponto central em seu “amadurecimento intelectual”.

“Devorei a obra de Olavo de Carvalho, que me preservou de meu fanatismo original pelas ideias libertárias da Escola Austríaca de Mises e Rothbard”, declarou na publicação.

Ex-aluno de escola privada, ele afirmou ser “vítima” da doutrinação marxista, atacando a “ideologia de gênero”, que seria um recurso usado por “manipuladores com um objetivo: “esconder a própria falta de preparo”.

Resende acredita ainda que o regime militar abriu espaço aos “marxistas” nas universidades e escolas: “Esse estágio atual que a gente passa na educação brasileira nasceu em muito sentido já no regime militar. Onde a gente viu o regime militar adotar uma famosa tese da panela de pressão, que para contrabalancear a esquerda guerrilheira, a esquerda lá do Araguaia, eles deveriam dar um espaço a esses marxistas dito democráticos, que não tinham aderido à luta armada. E o espaço deles deveria se dar nas escola”.

1 / 8
1
08:30
Intercept: os principais pontos do depoimento de Moro no Senado
O ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou esclarecimentos em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado) sobre …
2
04:04
E se Carlos Bolsonaro fosse gay?
O ex-deputado Jean Wyllys fez uma série de posts em sua rede social apontando que Carlos Bolsonaro, o filho 02 …
3
03:02
Empresas usaram disparos no WhatsApp durante eleição de Bolsonaro
Uma reportagem publicada pela Folha de S. Paulo mostra que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para …
4
01:49
Senado diz não e derruba o decreto de armas de Bolsonaro
O Senado votou na terça-feira, 18, o parecer que pede pela suspensão dos decretos que flexibilizam o porte e a …
5
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …
6
03:48
O melhor jornal do mundo faz a pior reportagem para Bolsonaro
Essa é a pior reportagem já publicada num jornal estrangeiro contra Jair Bolsonaro. Por dois motivos: saiu no mais importante …
7
03:47
A estranha conexão entre o caso Najila Trindade e Sérgio Moro
O jornalista Gilberto Dimenstein publicou em sua coluna no site Catraca Livre um texto em que conecta dois casos de …
8
03:04
Entendas os possíveis impactos do vazamento das mensagens de Moro
O site The Intercept Brasil divulgou trechos de mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, …