Covid-19 e vice de Covas esquentam debate entre tucano e Boulos na Band

Durante todo o debate, Boulos se colocou como o candidato que representa a esperança, enquanto Covas se posicionou com o candidato da experiência

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O enfrentamento da pandemia de covid-19 e o candidato à vice-prefeito na chapa encabeçada por Bruno Covas (PSDB), Ricardo Nunes, foram os temas que esquentaram o debate entre o tucano e Guilherme Boulos (PSOL), na TV Band, nesta quinta-feira, 19.

boulos covas debate band
Crédito: Reprodução/RecordTV Covid-19 e vice de Covas esquentam debate entre tucano e Boulos na Band

Durante todo o debate, Boulos se colocou como o candidato que representa a esperança, enquanto Covas se posicionou com o candidato da experiência que São Paulo precisa para vencer a crise e não de um “engenheiro de obra pronta”.

Ambos afirmaram que as decisões sobre a pandemia da Covid-19 devem seguir técnicos e especialistas, mas Boulos criticou Covas por não ter feito testagens em massa para buscar os casos ativos de covid-19 e isolar essas pessoas para evitar o contágio. “A cidade tem quase 8.000 agentes de saúde, que poderiam ter sido usado para fazer a testagem”, disse o candidato do PSOL.

Covas rebateu afirmando que não havia testes disponíveis no mercado para atender toda a população, mas que todos que buscaram tratamento foram tratados e que os médicos paulistanos não precisaram escolher quem teria acesso a um respirador ou outros tipos de tratamento, como aconteceu em diversos países do mundo.

Covas também aproveitou esse momento para dizer que “notícias que afirmam que haverá um lockdown após as eleições” são falsas e que, hoje, não há nenhuma estatística da doença que aponte nesta direção.

Hoje foi divulgado pelo governo do Estado que os índices de internações subiram 26%, porem esse dado não se refere exclusivamente a capital paulista.

Covas questionou Boulos se ele pretendia acabar com as creches conveniadas e Boulos aproveitou a deixa para questionar o vice do tucano e denuncias de que ele tem ligação com entidades que gerem creches conveniadas.

“O Bruno bota a mão no fogo, mas você não precisa botar junto”, disse Boulos, lendo informações que mostram a ligação de Nunes com donos de empresas que alugam imóveis para creches da Prefeitura com valores acima dos praticados pelo mercado.

“Meu vice Ricardo Nunes não apenas não tem um processo no judiciário, como não há nenhum indício que haja casos de corrupção”, disse Covas.