Desembargador é flagrado novamente sem máscara e debocha de guardas

Ao ser questionado, Eduardo Almeida disse que "é um desprazer vê-los estragando, poluindo a praia", referindo-se aos guardas municipais

Por: Redação

O desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, que ofendeu guardas civis municipais de Santos (SP) ao ser abordado por estar sem máscara de proteção facial obrigatória, foi flagrado novamente sem o acessório na manhã da última quarta-feira, 5.

Imagens obtidas pelo G1 mostram o magistrado do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) caminhando pela faixa de areia, com a máscara no pescoço, enquanto falava ao celular.

O desembargador já havia desrespeitado a GCM
Crédito: Reprodução “É um desprazer vê-los estragando, poluindo a praia”, diz desembargador sobre guardas municipais

Questionado, o desembargador Eduardo Almeida disse que ‘provavelmente’ não era ele e ainda debochou dos guardas municipais, alegando que “não dá bola” e que eles “poluem a praia”.

Relembre o caso do desembargador

No dia 19 julho, o desembargador Eduardo Almeida humilhou um guarda municipal ao ser multado, chamando-o de analfabeto. O magistrado também desafiou os agentes a multá-lo e a insinuar que jogaria a autuação ‘na cara’ do guarda caso ele insistisse na notificação.

O comportamento do desembargador rendeu a abertura de uma investigação no CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que apura se ele feriu a Lei Orgânica da Magistratura, o Código de Ética da Magistratura e se o caso se enquadra nas leis sobre abuso de autoridade e desacato a autoridade.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador foi alvo de 40 procedimentos de apuração disciplinar nos últimos 15 anos. Todos os processos foram arquivados.

Compartilhe: