Doria assina decreto que recomenda uso de máscara em São Paulo

Doria anunciou decreto que recomenda uso de máscaras na tarde desta quinta-feira, 23, no Palácio dos Bandeirantes

Por: Redação

Em meio às novas medidas anunciadas pelo governador de João Doria (PSDB-SP) contra o avanço da pandemia no estado, será publicado na próxima sexta-feira, 24, um novo decreto recomendando o uso de máscaras em todos os 645 municípios. A campanha visa, sobretudo, conter a disseminação do coronavírus.

Durante entrevista coletiva realizada no Palácio dos Bandeirantes nesta quinta-feira, 23, Doria justificou a decisão. “Assim como na capital, outros prefeitos já tinham feito essa recomendação. Agora, vamos estender isso para os 645 municípios. É importante que essa recomendação seja seguida pelas pessoas que, em caso de extrema necessidade, precisem dair de casa. São Paulo segue assim orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).”

Doria decreto Máscara
Crédito: Rovena Rosa/Agência BrasilPassageira de ônibus no terminal Bandeira  adere ao uso de máscaras descartáveis por precaução contra o coronavírus – Rovena Rosa/Agência Brasil 

Na semana passada, o prefeito Bruno Covas decretou a medida na capital paulista. Exemplo seguido por outros municípios.

Ainda de acordo com o governador paulista, o uso da máscara é apontado com potencial redutor de transmissão do coronavírus. Por isso, não descarta a possibilidade tornar o uso obrigatório.”Uma parte majoritária da população está usando máscaras, inclusive máscaras ‘domésticas’. Se necessário for, tornaremos [o uso] obrigatório.”

Sinal amarelo para o isolamento

Segundo monitor de quarentena do governo estadual, a taxa de isolamento no estado caiu para 48%_o que, segundo o governador, acende “sinal amarelo” para as autoridades que haviam estimado 70% como ideal para evitar um colapso no sistema de saúde.



Doria avaliou ainda que a reabertura econômica prevista para 11 de maio está condicionada à taxa de isolamento. Assim, municípios com taxas altas poderão ter as demandas atendidas, enquanto cidades com números baixos poderão enfrentar a quarentena por mais tempo. “Caso a taxa de isolamento permaneça abaixo de 50%, a flexibilização da quarentena poderá ser revista. Não poderemos fazer flexibilização se não tivermos um índice mínimo de pessoas em casa”, afirmou.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, São Paulo tem 1.134 mortes pelo novo coronavírus e 15.914 casos confirmados.  1.323 pacientes estão internados em UTI. Ainda segundo o governo, a taxa de ocupação das UTIs é de 55% no Estado e 74% na capital.