Últimas notícias:

Loading...

Doria decreta estado de calamidade pública no estado de São Paulo

"Nós estamos fazendo aquilo que ele [Bolsonaro] não faz, liderar o processo. Lamentavelmente ele não faz e, quando faz, faz errado", disse o governador

Por: Redação
O governador João Doria e o prefeito Bruno Covas
Crédito: Reprodução / Governo do Estado de São PauloO governador João Doria e o prefeito Bruno Covas vão decretar estado de calamidade pública

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 20, o governador João Doria (PSDB) anunciou que vai declarar estado de calamidade pública no estado para conter o aumento de casos do novo coronavírus. O decreto será publicado no Diário Oficial deste sábado, 21.

“Calamidade pública a partir de amanhã não é para causar pânico, mas para facilitar ações e medidas para conter a Covid-19. Simplifica o processo de compras e contratações de serviços essenciais, para dar mais agilidade ao governo. Todo dia é um dia de agonia e de dificuldades. Vamos proteger a todos indistintamente. Brasileiros que vivem em São Paulo, e não brasileiros também”, declarou o governador no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo Doria, a medida vai agilizar as ações do governo na compra e contratações de serviços essenciais, além de tirar qualquer burocracia e proteger os gestores públicos dessas medidas, “dando mais agilidade e rapidez ao governo nesse enfrentamento”.

O governador também suspendeu as atividades dos serviços públicos estaduais não essenciais a partir de segunda-feira, 23. O Poupatempo, Detran e Junta Comercial do Estado de São Paulo vão fechar, mas o atendimento online e por telefone continuará.

Equipamentos públicos como zoológicos e todas as unidades de conservação estaduais, como Horto Florestal, Jardim Botânico, Parque Ecológico do Tietê, entre outros, permanecerão fechados até o dia 30 de abril. Equipamentos esportivos, como o Complexo do Ibirapuera, também devem ter as atividades canceladas.

Doria ainda garantiu que não há necessidade de corrida a supermercados e farmácias. “Nós estamos seguros que não haverá desabastecimento”, enfatizou. A partir desta segunda-feira, 23, álcool em gel será vendido nos mercados a preço de custo.

Ao final, o governador respondeu ao presidente Jair Bolsonaro, que criticou medida de fechar shoppings, dizendo que governos estaduais fazem o que não lhes cabe. “Nós estamos fazendo aquilo que ele não faz, liderar o processo. Lamentavelmente ele não faz e, quando faz, faz errado”, afirmou Doria.



Bruno Covas

Na coletiva, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, também anunciou decreto de estado de calamidade para o município.

“Seguindo a linha de trabalho em conjunto da Prefeitura de São Paulo e governo do estado de São Paulo também no Diário Oficial de amanhã nós teremos o decreto assinado por mim de reconhecimento de situação de calamidade pública na cidade de São Paulo. Isso permite ao governo municipal uma série de agilidades pra poder tomar as decisões e efetuar as decisões tomadas pelo secretariado que tem se reunido diariamente e tomar as medidas cabíveis”, acrescentou.

Assista à coletiva:

Coletiva de imprensa para anunciar novas medidas de combate ao coronavírus. O Estado de São Paulo decreta estado de calamidade pública para desburocratizar o processo de compras e contratações essenciais no combate a Covid-19. #GestãoTransparente #GovernoSP

Posted by João Doria on Friday, March 20, 2020

Compartilhe: