Empresário que gravou mulheres em ioga defende ‘dar porrada em mulher’

Ricardo Roriz defende elaboração de lei que daria 'direito de enfiar a porrada na mulher se ela encher o saco'

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu mais um inquérito contra o empresário Ricardo Roriz, que já é investigado por filmar e divulgar vídeos que expõem mulheres praticando ioga na lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio.

Desta vez, Ricardo aparece em uma gravação criticando a Lei Maria da Penha  e incitado a violência contra mulheres.

O empresário Ricardo Roriz
Crédito: Reprodução O empresário Ricardo Roriz

Para o empresário, a lei seria a responsável por fazer com que as mulheres sejam “um bicho chato” e sugere a elaboração de lei que daria ‘direito de enfiar a porrada se ela [mulher] te encher o saco’.

“Eu descobri porque mulher da gente é um bicho chato pra c******. Sabe quem é o culpado? É a tal da Maria, Maria da Penha. Se a Maria da Penha não tivesse feito aquela lei. Se tivesse uma lei assim ‘Você está casado e está vivendo com uma mulher há mais de três meses, você tem direito de enfiar a porrada se ela te encher o saco’. Toda mulher seria maravilhosa, seria calminha”, diz Ricardo Roriz no vídeo.

Em entrevista ao G, a delegada responsável pelo inquérito, Valéria Aragão, disse que o empresário irá responder por incitação ao crime de violência contra mulher pelo vídeo postado. O empresário tem cerca de 300 mil seguidores.

“Uma terceira investigação em desfavor a Ricardo Roriz foi iniciada nesta terça-feira, quando mais um vídeo do autor chegou nas mãos da 12ª DP. O vídeo foi encaminhado por uma de suas vítimas, a professora Mariana Madura conseguiu obter as imagens através de pesquisas em redes sociais”, disse a delegada.

“Engraçado”

Na segunda-feira, 10, Ricardo Roriz esteve na 12ª DP para depor sobre um segundo registro de ocorrência realizado por nova vítima que o acusa de filmá-la sem consentimento.

No depoimento, o empresário disse que as publicações teriam uma finalidade “humorística”.

Segundo a delegada Valéria Aragão, Ricardo “afirmou que se sente arrependido do que fez e há seis anos ele começou a fazer vídeos e postá-los com toque de humorismo”, disse. “Mas, em momento algum, quis ofender ou expor as pessoas”, ressaltou.

Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha foi criada em 2006 para impedir que mulheres sejam vítimas de violência. A lei estabelece que todo o caso de violência doméstica e intrafamiliar é crime, deve ser apurado através de inquérito policial e ser remetido ao Ministério Público. Esses crimes são julgados nos Juizados Especializados de Violência Doméstica contra a Mulher, criados a partir dessa legislação, ou, nas cidades em que ainda não existem, nas Varas Criminais.