Entregador denuncia agressão com arma na cabeça em shopping do Rio

Jovem de 18 anos conta que foi abordado por dois homens enquanto aguardava para trocar relógio que havia comprado em loja da Renner

Por: Redação

Um entregador denunciou agressão com arma na cabeça por parte de dois homens no Ilha Plaza Shopping, na Ilha do Governador, no Rio, na quinta, 6.

Imagem mostra o momento da agressão
Crédito: Reprodução/TV GloboImagem mostra o momento da agressão

Matheus Fernandes, de 18 anos, que trabalha com entregas de comida por aplicativo, conta que foi até a Renner do Ilha Plaza Shopping para trocar um relógio que havia comprado como presente para o Dia dos Pais.

Em seu relato, o jovem diz que, na loja em questão, ele percebeu que estava sendo seguido por dois homens a paisana. E que foi abordado por eles enquanto esperava para ser atendido. “Vamos ali”, teria dito um dos homens.

A ocorrência foi flagrada por imagens que mostram Matheus imobilizado no chão por um homem de camisa vermelha.

Outro homem, que veste camisa preta, também participa da ação.

Um grupo de pessoas que presenciavam o que acontecia passou então a exigir que o rapaz fosse solto. Os dois homens, então, o libertaram.

De acordo com o que se vê nas imagens, um segurança do shopping chegou a presenciar a ação dos dois homens, mas não tomou providências.

Matheus disse ao portal G1 que foi “tratado como se não fosse nada, e ainda colocaram uma pistola na minha cabeça”.

“E por que isso?”, questiona. “Porque estou com um relógio bacana sou ladrão? Não sou ladrão, não.”

E reclama que os homens estão com seu documento. “Ele devolveu minha carteira, mas não meu cartão.”

O jovem foi orientado a fazer um boletim de ocorrência on-line, uma vez que os atendimentos presenciais na delegacia da Ilha do Governador estão restritos devido à pandemia.

A Renner informou que os homens responsáveis pela agressão com arma na cabeça não são funcionários da loja.

O Ilha Plaza Shopping também negou que a dupla seja de seu quadro de funcionários.

Segundo a Polícia Civil, foi aberta investigação para apurar o caso. Matheus Fernandes deve ser ouvido nesta sexta, 7, na 37ª DP da Ilha do Governador.