Estudante picado por naja é preso no Distrito Federal

Pedro Henrique Krambeck é suspeito de crime ambiental e de tentar atrapalhar as investigações sobre o caso

Por: Redação

Na manhã desta quarta, 27, foi preso o estudante picado por uma naja no Distrito Federal. Pedro Henrique Krambeck, de 22 anos, é suspeito de crime ambiental e de tentar atrapalhar as investigações sobre o caso.

Crédito: Reprodução/TV GloboO estudante picado por naja está em prisão temporária

A prisão, realizada pela Polícia Federal do DF, é temporária. Isso significa que tem validade de cinco dias, podendo ser prorrogada por outros cinco.

Pedro Henrique, que é estudante de veterinária, foi detido em sua residência, no Guará, por uma equipe da 14ª Delegacia de Polícia (Gama). Um perito médico-legista esteve no local para checar as condições de saúde do rapaz.

Ele foi picado no dia 7 de julho por uma naja que criava em casa. Chegou a ficar em coma, mas teve alta no dia 13. Por conta de um atestado médico, só prestaria depoimento em agosto.

naja
Crédito: Divulgação /BPMA-DFCobra naja integra a lista das serpentes mais venenosas do mundo

No dia 16, Pedro, o estudante picado por uma naja, foi multado em R$ 81,3 mil por manter animais nativos e exóticos em locais inapropriados e sem autorização, além de maus tratos, e por dificultar as ações do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis).

Um amigo de Pedro, Gabriel Ribeiro de Moura, de 24 anos, também já havia sido detido no dia 22 de julho, por suposta tentativa de ocultar provas de crimes. Gabriel foi apontado pela investigação como o responsável por esconder as serpentes.

Pedro, o estudante picado por uma naja, seria dono de pelo menos outras 16 serpentes, de acordo com a Polícia Civil. Ele costumava postar fotos com os bichinhos nas redes sociais.