Estudantes e professores protestam contra cortes na Educação

A paralisação nacional da educação tem atos marcados em ao menos 13 estados do país

Por: Redação
Crédito: Reprodução / FacebookEstudantes da UFMG fazem assembleia sobre adesão à greve geral

Contra os cortes na Educação anunciados pelo governo Bolsonaro, secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores e outros profissionais vão às ruas nesta quarta-feira, 15 de maio, em manifestações marcadas por todo o país. Segundo a União Nacional dos Estudantes (UNE), os atos vão ocorrer em cerca de 13 estados.

ENTENDA O IMPACTO DOS CORTES DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

A mobilização nacional é uma preparação para a greve geral de todos os trabalhadores, marcada pelas centrais sindicais para o dia 14 de junho, “como primeiro passo para derrubar a proposta de mudanças da reforma da Previdência”.

Para a UNE, o governo usa o corte na Educação como “moeda de troca para aprovar a Previdência”. A entidade também afirma que já é possível considerar que esse é o momento com mais ataques à educação na história da recente democracia brasileira. “Nós não podemos ficar reféns de um governo que quer destruir as universidades”, afirmou a presidente da instituição, Marianna Dias.

O ato na cidade de São Paulo terá concentração a partir das 14h no MASP, na Avenida Paulista. Em comunicado, os reitores da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) criticaram os cortes de verba das universidades federais e convocaram a comunidade acadêmica a “debater problemas da educação e ciência” nesta quarta-feira.

O Conselho dos Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) também divulgou uma nota em que informou que “conclama a comunidade acadêmica” para o debate e que os cortes de verba na área são um “equívoco estratégico”, com consequências para o desenvolvimento do país.

Confira abaixo ou neste link os eventos dos atos marcados:

ACOMPANHE OS ATOS DO DIA 15/05 NOS ESTADOS:RIO GRANDE DO SUL:-Porto Alegre, FACED-UFRGS,18h…

Posted by UNE – União Nacional dos Estudantes on Thursday, May 9, 2019

Cortes na Educação

A “Greve Nacional da Educação” foi convocada pelas entidades da área e centrais sindicais em resposta ao bloqueio de recursos feito pelo Ministério da Educação, que afeta do ensino infantil aos cursos de pós-graduação.

Embora os cortes anunciados atinjam de forma mais imediata as universidade federais, as estaduais também são afetadas, pois recebem verbas de financiamento de agências de fomento ligadas ao governo federal.

No caso da educação básica, pela Constituição, esse nível de ensino é responsabilidade dos municípios, mas depende de verbas federais. Por exemplo, o programa de apoio à manutenção e reforma de escolas perdeu 30% de seu orçamento.

estudantes fazem cartazes em mobilização contra os cortes na Educação
Crédito: Reprodução / UNEO bloqueio de recursos feito pelo Ministério da Educação afeta do ensino infantil aos cursos de pós-graduação

O ministro da pasta, Abraham Weintraub, disse que os recursos bloqueados poderão voltar se a reforma da Previdência for aprovada e a economia do país melhorar. De acordo com ele, o contingenciamento feito pelo MEC tem como objetivo cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) declarou que está aberto ao diálogo com todas as instituições de educação para “buscar caminhos para o fortalecimento do ensino no País” e que “os bloqueios de verba são preventivos”.

Saiba mais no vídeo abaixo:

#EducaçãoSim

Contra os cortes na Educação e a favor de um ensino de maior qualidade, a Catraca Livre lança a hashtag #EducaçãoSim.

A Catraca Livre acredita que sem investimento na área, não há possibilidade de o Brasil crescer de forma sustentável, gerando emprego e melhores salários.

1
Bolsonaro deixa o PSL para fundar um novo partido político
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira, 12, que vai deixar o Partido Social Liberal (PSL) após quase dois anos …
2
Entenda a crise política na Bolívia em 8 minutos
Após 13 anos no poder, o presidente boliviano Evo Morales renunciou ao cargo no último domingo, 10, em meio a …
3
DPVAT e INSS: os impactos das medidas de Bolsonaro para a população
O presidente Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias (MPs) que prometem mudar a vida dos brasileiros. O anúncio foi feito …
4
O retrato da violência doméstica no Brasil
Cerca de 13 mulheres são assassinadas todos os dias no Brasil.  Em uma conta rápida, isso significa 4.750 mortes por …
5
O ambicioso plano de Paulo Guedes para a economia do Brasil
“Transformar o Estado Brasileiro” é o que pretende o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o pacote de ações que …
6
O que acontecerá com Lula e outros presos após a decisão do STF?
Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu mudar o entendimento sobre a prisão de condenados em …
7
03:52
No Brasil, 13,5 milhões de pessoas vivem na pobreza extrema
Dados da última edição da Síntese de Indicadores Sociais do IBGE, que analisa a qualidade de vida da população, mostra …
8
03:58
Por que o câncer do prefeito de SP está cada vez mais comum ?
Diagnosticado com um tumor no sistema digestivo, aos 39 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresenta um …