Famílias brasileiras acolhem refugiados para ver jogos da Copa

"Sou grato pela recepção calorosa na casa dos brasileiros", afirma o angolano Blaise Mulato

Refugiados torcem ao lado de brasileiros no primeiro jogo do país na Copa

Os primeiros dois jogos do Brasil na Copa do Mundo da Rússia representaram uma verdadeira troca de culturas em algumas casas pela cidade de São Paulo. Refugiados sírios, congoleses, angolanos, venezuelanos, haitianos e egípcios foram convidados por famílias brasileiras para assistir ao jogo e compartilhar emoções lado a lado.

A ideia do projeto Meu Amigo Refugiado é realizar encontros entre brasileiros e refugiados em todos os jogos do Brasil na Copa. Veja aqui como se inscrever como anfitrião e participar da ação nas próximas partidas.

Blaise Mulato, da Angola, foi um dos convidados de uma família brasileira no primeiro jogo, contra a Suíça. “Desde os meus 9 anos, sempre gostei de jogar futebol e também de assistir jogos do Brasil. Na época, ele era considerado o gigante de todas as Copas“, conta à Catraca Livre.

“Estou torcendo pelo Brasil, claro! Porém, não deixo de torcer também pelas equipes africanas que estão na disputa”, afirma Blaise. Para ele, foi uma experiência muito boa ser acolhido por torcedores brasileiros. “Pude ver o clima de vibração e também de ansiedade durante o jogo. Valeu a pena! Foi algo que nunca tinha presenciado de perto”, diz o angolano. “Sou grato pela recepção calorosa na casa da família brasileira.”

O angolano Blaise Mulato foi um dos convidados do projeto

Já a venezuelana Yilmary de Perdomo contra que ela, o marido e os filhos sempre assistiam aos jogos da Copa na Venezuela, mas aqui a sensação é diferente. “Nós estamos muito emocionados em viver essa alegria de torcer pelo Brasil. Agora entendemos o que é ter um time, uma torcida.”

“Assistir ao jogo com uma família brasileira foi uma experiência incrível. Essa emoção brasileira é única. E a gente compartilhou não apenas a emoção do futebol, mas também a cultura do nosso país”, finaliza Yilmary.

Confira mais fotos do encontro de famílias brasileiras e refugiados:

O projeto

Em 2017, mais de 33 mil pessoas haviam pedido refúgio no Brasil, mas apenas 10 mil já têm o registro dado pelas autoridades brasileiras. Esses números vêm crescendo ano a ano por causa das crises na Síria, Venezuela, República Democrática do Congo, entre outros países.

O projeto Meu Amigo Refugiado quer aproximar pessoas, conectando famílias de refugiados e brasileiros em datas especiais dentro de suas casas. É um jeito de ajudar os novos brasileiros a criarem vínculos com famílias locais, conhecendo mais sobre a nossa cultura ao mesmo tempo em que compartilham suas histórias de vida e a cultura de seus países de origem.

Leia também:

Compartilhe:

1 / 8
1
04:17
Estadão, Folha e O Globo apontam possível queda de Bolsonaro
Os jornais O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo e O Globo - de maior circulação no país - …
2
04:56
Maconha e nudez usadas no WhatsApp contra universidades
Entenda como o pensamento de Olavo de Carvalho, guru de Jair Bolsonaro, impactou e instaurou uma crise generalizada em uma …
3
03:22
Teoria da conspiração associa facada em Bolsonaro ao filho Carlos
Teorias conspiratórias são, por definição, baseadas na irrealidade. Em alguns casos, em loucura. Mas uma em especial tem ganhado destaque …
4
04:04
Justiça quebra sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e Queiroz
As acusações envolvendo esquemas de corrupção no gabinete de Flávio Bolsonaro estão ganhando um novo capítulo. Pedra no sapato do …
5
02:52
Bolsonaro diz que vai indicar Sergio Moro para vaga no Supremo
O presidente Jair Bolsonaro se comprometeu em indicar o ministro Sergio Moro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal. A …
6
03:41
Movimentos estudantis convocam ato contra os cortes na educação
Um ato marcado para esta quarta-feira, 15 de maio, promete mobilizar secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores e outros profissionais contra os …
7
06:06
A construção do papel de mãe para quem opta pela adoção
O depoimento de Rosangela Ferreira faz parte do especial Mãe não é tudo igual, que destaca que cada maternidade tem …
8
06:33
O drama de retornar ao trabalho após a licença maternidade
O depoimento de Maria da Conceição faz parte do especial Mãe não é tudo igual, que destaca que cada maternidade …