Últimas notícias:

Loading...

Festa de Réveillon sem restrições em avião ‘prende’ influenciadores no México

Sem ninguém com máscara e com muita bebida e cigarro, influenciadores canadenses fazem a farra em voo até Cancún

Por: Redação

Uma festa com pessoas sem máscara e com direito a muito cigarro e bebida aconteceu dentro de um Boeing 737 da Sunwing Airlines, durante o Réveillon. A situação veio à tona após vídeos postados por influenciadores canadenses começarem a circular pelas redes sociais.

Festa sem restrições em avião 'prende' influenciadores no México
Crédito: Reprodução/TwitterFesta sem restrições em avião ‘prende’ influenciadores no México

Logo depois das imagens virem a público, e as companhias aéreas terem conhecimento sobre o ocorrido, elas estão se recusando a levá-los de volta para casa por conta das infrações séries cometida, que podem acarretar na contaminação da Covid por muitos que estavam na festança.

Tudo começou no dia 30 de dezembro, quando 100 pessoas, entre elas participantes de reality show e influenciadores, realizaram uma balada no ar de Montreal para Cancún, no México. O objetivo era celebrar o novo ano bem longe das restrições mais rígidas do Canadá.

Apesar dos vestígios da festa estarem viralizando mundo à fora apenas essa semana, os jovens compartilharam cada detalhe da festa em suas redes sociais. Nas imagens, é possível ver que eles utilizam de forma errônea a comunicação interna da aeronave e ainda fumam cigarros eletrônicos – prática totalmente proibida.

Segundo o site “Insider”, depois das publicações viralizarem, o organizador do evento, James William Awad, alegou que a viagem de volta dos passageiros que estavam no avião foi cancelada pela Sunwing, a companhia aérea que os deixou em Cancún.

Outras companhias aéreas, como a Air Canada e a Air Transat, também se negaram levá-los de volta a Montreal, no Canadá, dizendo que eles podem colocar suas tripulações e outros passageiros em risco por causa da Covid-19.

Além de ficarem “presos” no México, os festeiros receberam uma multa de US$ 5 mil, cerca de R$ 28 mil, em conversão direta.

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá, também comentou sobre o ocorrido: “Nós levamos os incidentes neste voo muito a sério. Quando algumas pessoas seguem estritamente as regras e outras têm esse nível de comportamento, é extremamente frustrante”.

Conforme o site “Insider”, a companhia aérea Sunwing Airlines teria feito um acordo com os influenciadores e estrelas de reality show, em que aceitariam levá-los de volta para casa desde que todos realizassem os testes de Covid, usando máscara, além de serem proibidos de ficar em pé nos corredores e que não fosse dado nenhum serviço de bordo ou ofertas de bebidas e alimentos.

A proposta foi negada por James Award, fundador da 111 Private Club, empresa que organizou a viagem.

“Ao revisar a situação atual, entendo porque muitos cidadãos ficaram incomodados com o que ocorreu”, disse ele ao site “TMZ”.

O caso continua em investigação e, como informou o ministro dos Transportes do Canadá, Omar Alghabra, se forem condenados, os viajantes podem pagar até 750 mil dólares canadenses, aproximadamente R$ 3,3 milhões, e seis meses na prisão.

“Já quando coloca a vida de outros em risco e causa danos, o viajante está suscetível a três anos de prisão e/ou até 1 milhão de dólares canadenses em multa”, complementou Omar Alghabra.

Compartilhe:

Tags: #Viagem