Funarte expõe violência policial em protestos dos estudantes secundaristas

Por: Redação

De acordo com comunicado da Fundação Nacional de Artes (Funarte), motocicletas conduzidas por policiais militares invadiram o hall do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, em São Paulo, na noite da última quarta-feira, dia 9, em perseguição a jovens que vinham das manifestações promovidas por estudantes secundaristas e, por causa da repressão, procuraram abrigo no local.

O episódio ocorreu durante uma atividade pública realizada pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Os policiais retiraram à força os adolescentes de dentro da bilheteria do teatro, sem ordem de prisão, e os agrediram. Em nota publicada nesta quinta-feira, dia 10, a Funarte repudiou a ação policial e exigiu esclarecimentos do Governo do Estado de São Paulo sobre o caso.

Crédito: Tiago QueirozOs estudantes foram retirados à força do teatro e agredidos por policiais

Leia o texto na íntegra:

Comunicado sobre o fato ocorrido nas dependências do Teatro de Arena Eugênio Kusnet

A Fundação Nacional de Artes – Funarte tomou conhecimento de que, durante uma atividade pública, realizada pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, na noite da última quarta-feira, dia 9 de dezembro, nas dependências do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, em São Paulo, motocicletas conduzidas por policiais militares invadiram o hall do teatro, em perseguição a jovens que vinham das manifestações promovidas por estudantes secundaristas e, em razão da repressão policial, procuraram abrigo no espaço. Os policiais retiraram à força os jovens de dentro da bilheteria do teatro, sem ordem de prisão, nem qualquer tentativa de manutenção da ordem – apenas com agressões aos adolescentes.

A Funarte repudia essa ação arbitrária e violenta, que fere os direitos previstos na Constituição Federal, no Estatuto da Criança e do Adolescente e, principalmente, o Estado Democrático de Direito. Em defesa da memória do Teatro de Arena e de todos os artistas que fizeram desse espaço palco da luta insubmissa e revolucionária contra a ditadura militar, a Funarte e o Ministério da Cultura, gestores do teatro, exigem esclarecimentos do Governo do Estado de São Paulo sobre o episódio.

Solidarizamo-nos com os jovens agredidos, suas famílias, os artistas e o público, presente no teatro; e com todos aqueles que acreditam que a democracia é o nosso maior patrimônio – e, por isso, sentem-se também violentados.

1
A queda: entenda a polêmica que custou o cargo de Roberto Alvim
Após praticamente reproduzir um discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, protagonizou uma polêmica que …
2
Impunidade de Victor não é caso isolado no Brasil de Bolsonaro
Victor Chavez, cantor sertanejo da extinta dupla Victor e Léo, foi condenado por agredir a esposa grávida de quatro meses …
3
Anarquia da ponte pra lá: a história do punk na periferia de SP
Autor do livro My Way, Valo Velho é história viva da cena anarcopunk de São Paulo. A Catraca Livre foi até …
4
Backer: entenda o caso das cervejas contaminadas
O Ministério da Agricultura suspendeu a venda de cervejas da marcar Backer e determinou que a empresa faça um recall …
5
O que é liberdade de expressão?
O que é liberdade de expressão? Entenda o significado e a importância desse direito tão importante para todos nós neste …
6
Entenda o acordo nuclear que envolve EUA x Irã
Errata: ao contrário do que aparece no vídeo, o nome do especialista entrevistado é Lucas Leite e não Felipe. O …
7
Depois de ataque e perseguição, Porta dos Fundos é alvo de censura
A Justiça do Rio de Janeiro resolveu mandar retirar do ar “A Primeira Tentação de Cristo”, um Especial de Natal …
8
“Imprecionante”: ministro Weintraub comete novo erro de português
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, escorregou de novo na língua portuguesa e a internet não deixou passar. Ao agradecer um …