Guedes volta atrás em discurso sobre parasitas: ‘Peço desculpas’

O ministro da Economia comparou servidores públicos a parasitas durante uma palestra no Rio de Janeiro e foi duramente criticado

Por: Redação

O ministro da Economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes pediu desculpas por ter comparado servidores públicos a parasitas, em mensagem enviada pelo aplicativo WhatsApp para jornalistas, amigos e familiares.

GUEDES PARASITAS DESCULPAS
Crédito: Agência Brasil/Fabio PozzebomGuedes volta atrás em discurso sobre parasitas: ‘Peço desculpas’

“Eu me expressei muito mal, e peço desculpas não só a meus queridos familiares e amigos, mas a todos os exemplares funcionários públicos a quem descuidadamente eu possa ter ofendido. Eu não falava de pessoas e sim do risco de termos um estado parasitário,  aparelhado politicamente financeiramente inviável”, se explicou Paulo Guedes.

Na última sexta-feira, 7, Guedes defendeu a reforma administrativa, durante palestra na Fundação Getúlio Vargas (FGV) no Rio de Janeiro. “O governo está quebrado. Gasta 90% da receita toda com salário e é obrigado a dar aumento de salário. O funcionalismo teve aumento de 50% acima da inflação, tem estabilidade de emprego, tem aposentadoria generosa, tem tudo, o hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático, não dá mais. A população não quer isso, 88% da população brasileira são a favor inclusive de demissão de funcionalismo público, de reforma, de tudo para valer”, disse o ministro.

Guedes disse também que suas declarações foram tiradas do contexto e que ele não quis ofender ninguém.

“Tiram do contexto. Falei de Estados e municípios em caso extremos. Quando toda a receita vai para salários e nada para saúde educação, e segurança”, justificou.

“O erro é sistêmico e não é culpa das pessoas que cumprem os seus deveres profissionais como é o caso da enorme maioria dos servidores públicos”, afirmou o ministro da Economia.

Em suas desculpas, Guedes tentou explicar sua afirmação durante a palestra.

“Se o Estado existe para si próprio então é como um parasita (o Estado perdulário) maior que o hospedeiro (a sociedade). Eu não falava de pessoas, falava dos casos extremos em que municípios e Estados gastam todas as receitas com salários elevados de modo que nada sobrava para educação, segurança, saúde e saneamento”, continuou Guedes.

Para ele, o trabalhador tem que arcar com o caos orçamentário criado pela má administração do dinheiro público. Vale destacar que Guedes não criticou a isenção de impostos para grandes empresas como algo ruim para o orçamento de estados e municípios, mas sim o salário dos servidores.

“Não se pode dar aumento automático de salários”. “O Estado, o governo municipal, o governo estadual neste caso vira um parasita maior que o hospedeiro, ou seja, a comunidade a quem deve servir”, insistiu o ministro no pedido de desculpas.


Imagem Carnaval Sem Assedio
1
Chuva forte deixa São Paulo debaixo d’água
A chuva que começou ontem não deu sinal de trégua e fez São Paulo amanhecer debaixo d’água nesta segunda-feira, 10. …
2
Coronavírus: aviões da FAB vão retirar brasileiros de Wuhan, na China
Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram nesta quarta-feira, 5, em direção a Wuhan, na China, para retirar os …
3
BBB20: Mulheres decidem o destino de Pétrix Barbosa
A união das mulheres  decidiu o destino de Pétrix não apenas no Big Brother Brasil 20, mas também fora da …
4
Damares Alves: abstinência sexual, protesto e contradição?
Por que este grupo de mulheres deu as costas para a ministra Damares Alves enquanto ela defendia sua política de …
5
Bolsonaro e a demissão do secretário que viajou com jato da FAB
O presidente Jair Bolsonaro anunciou em sua conta no Twitter que vai tornar sem efeito a nomeação de José Vicente …
6
Visibilidade trans: a história de Thais de Azevedo
O que é violência para você? Para Thais de Azevedo essa pergunta resume uma trajetória de vida. Como mulher trans, …
7
Qual o impacto do feminismo na periferia ? Luana Hansen dá a letra
Dj, MC e produtora musical, Luana Hansen fez e faz história no movimento hip hop há, pelo menos, duas décadas. …
8
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido.Era …