Últimas notícias:

Loading...

Homem é preso após chamar funcionário de rede de fast-food de ‘macaco’

Trabalhador teria sido xingado após dizer que não tinha troco para R$ 100

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Um homem foi preso após ataque racista e homofóbico contra um funcionário de uma rede de fast-food em um shopping em Belo Horizonte.

O caso ocorreu ontem, 23, na loja do Burguer King do Via Shopping, na região do Barreiro. O homem, que não teve a identidade revela, chamou o atendente de “macaco” e “viado” após ele informar que não tinha troco para uma nota de R$ 100. O homem de 27 anos tentou fugir em um táxi após o ataque.

fast-food
Crédito: DivulgaçãoHomem é preso após chamar funcionário de rede de fast-food de ‘macaco’ em shopping de BH

Em depoimento à polícia, o atendente do Burguer King disse que o homem estava na fila e que, ao fazer o pedido, foi informado que não tinha troco.

Segundo o atendente, o homem “saiu da fila e foi em direção aos seus colegas e começou a dirigir ameaças e palavras com ofensas raciais, tais como ‘viado’ e ‘macaco’, e que saiu dizendo que ia mandá-lo para o inferno logo, logo”.

Já o homem negou as ofensas racistas e disse que o funcionário da loja o chamou de “aleijado”, por ter problemas nos dedos.

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, o suspeito foi autuado em flagrante por injúria e encaminhado ao sistema prisional. Foi estipulada uma fiança, mas ele não pagou.

Em nota, o Burger King afirmou “que repudia todo e qualquer tipo de discriminação, seja em suas lojas ou em toda a sociedade. A companhia disse ainda que está ao lado de seu colaborador, prestando o suporte e apoio para garantir que todas as medidas necessárias sejam tomadas. A rede reforça que acredita e fomenta a importância de uma sociedade plural, onde todos sejam bem-vindos”.

Também em nota, o ViaShopping Barreiro lamentou “imensamente a injúria racial e homofóbica sofrida por um dos colaboradores de seus lojistas e reitera que tais comportamentos são inadmissíveis e sempre serão combatidos”. O shopping também disse que está à disposição para colaborar com o andamento do caso.

Como denunciar racismo?

Para que casos de racismo diminuam, é fundamental que o criminoso seja denunciado, já que racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89. Muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro. .

Compartilhe: