Últimas notícias:

Loading...

Impeachment de Bolsonaro? Miriam Leitão dá uma facada na ditadura

Jornalista colocou as Forças Armadas contra a parede a respeito dos crimes cometidos durante o regime militar no Brasil

Por: Redação

O novo texto de Miriam Leitão em sua coluna no jornal O Globo é uma verdadeira facada na ditadura e no atual governo Bolsonaro. Uma das mais conceituadas jornalistas do Brasil, que inclusive foi torturada durante o regime militar, crucificou o discurso do atual presidente a respeito do pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, morto durante o período de repressão.

Bolsonaro afirmou que sabe do paradeiro do pai do jurista. “Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele.”, disse o presidente da República.

Presidente da OAB vai ao STF pedir esclarecimentos sobre morte do pai

Em resposta, Miriam Leitão escreveu uma coluna com maestria. A jornalista repudiou a fala de Bolsonaro. “O que o presidente fez é repulsivo. (…) O presidente brinca com o sentimento de um filho que nunca conviveu com o pai porque ele foi morto aos 26 anos.”, disse.

miriam leitão e bolsonaro
Crédito: Reprodução/Globo NewsMiriam Leitão ataca fala de Bolsonaro sobre a ditadura

Em seu texto, Miriam Leitão ainda trouxe à luz uma questão muito importante a respeito de como os poderosos da ditadura mentiram sobre os crimes cometidos na época.

“[…] ao se colocar como o conhecedor dos segredos da ditadura, ele diz que há informações sonegadas ao país, que ele sabe onde estão. Nunca ficou tão claro que as Forças Armadas mentiram quando disseram não ter como recuperar os fatos.”, escreveu.

OPINIÃO: Se você ainda não se arrependeu de ter eleito Bolsonaro, você está morto por dentro

Ao final de seu texto, Miriam Leitão sugere que o presidente tem desobedecido a Constituição Brasileira diariamente – e isso poderia configurar um quadro de impeachment. “A Constituição anda sendo desrespeitada diariamente pelo presidente da República. É hora de lembrar o que disse o grande Ulysses Guimarães ao promulgar a nossa Carta Magna: ‘Temos ódio à ditadura, ódio e nojo’. Ontem foi o dia de sentir nojo.”

Uma verdadeira facada na podridão da ditadura – e na podridão do atual governo.

Para ler a coluna completa de Miriam Leitão, acesse O Globo.

Compartilhe:

?>