Irã anuncia prisão de envolvidos em queda de avião ucraniano

Segundo o presidente iraniano, Hassan Rouhani, a responsabilidade pelo ocorrido recai sobre mais do que apenas uma pessoa

Por: Redação
Crédito: Rouhollah Vadati / ISNA / AFPA queda da aeronave matou as 176 pessoas a bordo

Nesta terça-feira, 14, o Irã anunciou que indivíduos envolvidos na queda do avião ucraniano foram presos, mas não especificou a quantidade de pessoas detidas e nem os nomes delas.

Segundo o presidente iraniano, Hassan Rouhani, a responsabilidade pelo ocorrido recai sobre mais do que apenas uma pessoa. Para ele, os culpados devem ser punidos. “As forças armadas iranianas admitirem seu erro são um bom primeiro passo. Devemos garantir às pessoas que isso não acontecerá novamente”, completou.

Embora tenha chamado o desastre de “erro imperdoável”, o presidente voltou a falar que a tragédia com o avião teve origem em agressões dos Estados Unidos. “Foram os EUA que criaram um ambiente agitado. Foram os EUA que criaram uma situação incomum. Foram os EUA que ameaçaram e levaram nosso amado (Soleimani)”, afirmou Rouhani.

Na quinta-feira, 2 de janeiro, os EUA atacaram por drones um local perto do aeroporto de Bagdá, no Iraque, deixando morto o general iraniano Qasem Soleimani, o segundo nome mais poderoso do Irã. O ato aumentou ainda mais a tensão entre os países, chegando a ficar na iminência de uma Terceira Guerra Mundial.

A ordem do ataque foi dada pelo presidente Donald Trump, que culpa Soleimani pela morte de americanos e afirma que o ataque ao general se deu para “conter o terror” no país. A partir de então, uma série de novos fatos aconteceram, inclusive o contra-ataque do Irã na noite de 7 de janeiro.

Pouco tempo depois, um míssil atingiu o avião ucraniano, mas “sem intenção”, de acordo com autoridades do Irã. O país levou algum tempo para admitir a culpa pelo lançamento. A queda da aeronave matou as 176 pessoas a bordo.

Após o ocorrido, o país tem vivido inúmeros protestos e vídeos mostram forças de segurança reagindo com violência. A justiça anunciou nesta terça-feira, 14, que 30 pessoas haviam sido detidas nas manifestações, mas que algumas já foram liberadas.

Novo vídeo

Novas imagens de uma câmera de segurança mostram que o avião ucraniano foi atingido por dois mísseis, disparados a partir da mesma base militar com um intervalo de 30 segundos. O vídeo circula nas redes sociais e teve sua veracidade atestada pelo jornal New York Times. Assista:

Compartilhe: