Últimas notícias:

Loading...

Ministério da Educação pode ter apoiador do ‘Escola sem Partido’

"É um ministério importantíssimo porque o futuro do Brasil passa por ali", ressaltou o presidente eleito na manhã desta quinta-feira, 22

Por: Redação
Crédito: Marcelo Camargo/Agência BrasilO Presidente eleito Jair Bolsonaro e os novos comandantes das Forças Armadas, falam com a imprensa após reunião no Comando da Marinha, em Brasília.

Após suposta indicação do educador Mozart Neves, do Instituto Ayrton Senna, para o Ministério da Educação_que causou reação negativa entre os representantes da Frente Evangélica_o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ressaltou nesta quinta-feira, 22, por meio de seu Twitter, não haver definição sobre o nome para a pasta.

Segundo notícia divulgada pelo jornal O Estado de S.Paulo, o capitão reformado do exército se reunirá com o procurador regional da República do Distrito Federal, Guilherme Schelb. Se confirmada sua indicação, a mudança tende a agradar a bancada evangélica, já que Schelb é declaradamente apoiador do projeto Escola Sem Partido. Outro ponto favorável à sua nomeação deve-se ao fato dele ser contra “discussão de gênero” em sala de aula.

À imprensa Bolsonaro minimizou a polêmica em torno da indicação e ressaltou: “Guilherme Schelb é cotado, sim”, destacou. Disse ainda que a educação escolar deve ser destinada a ensinar disciplinas e que temas relativos a questões de gênero devem ser abordadas pela família.“Escola é lugar de se aprender física, matemática, química e fazer com que no futuro tenhamos um bom empregado, um bom patrão e um bom liberal. Esse é o objetivo da educação.”

Forças Armadas 

Bolsonaro se reuniu na manhã desta quinta-feira, 22, com o Comando da Marinha para tratar sobre as indicações para as Forças Armadas_todos anunciados pelo futuro da defesa, Fernando de Azevedo e Silva. Entre eles, o almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior para a Marinha. Edson Leal Pujol para o Exército e o brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez, na Força Aérea.