Mourão lamenta morte de negro no Carrefour, mas diz que ‘não existe racismo’ no Brasil

“Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil, não existe aqui”, disse o vice-presidente

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, causou indignação nas redes sociais nesta sexta-feira, 20, ao afirmar “que não existe racismo” no Brasil.  A fala controversa ocorre em pleno Dia da Consciência Negra e em que o Brasil se revolta com a morte de um homem negro espancado por seguranças do supermercado Carrefour em Porto Alegre (RS).

A declaração de Mourão foi dada ao comentar o caso de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos. Para o vice-presidente, apesar de ser “lamentável”, a morte não pode ser considerada como um caso de racismo, e sim um caso de “segurança totalmente despreparada”.

Mourão
Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil ‘Não existe racismo no Brasil’, diz Mourão após morte de homem no Carrefour, em Porto Alegre

“Lamentável, né? Lamentável isso aí. Isso é lamentável. A princípio, é segurança totalmente despreparada para a atividade que ele tem que fazer […] Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui”, afirmou Mourão a jornalistas em Brasília.

Questionando sobre a afirmação, Mourão respondeu: “Não, eu digo para você com toda a tranquilidade: não tem racismo aqui”.

Nas redes sociais internautas criticaram e classificaram a fala do vice-presidente de absurdo. Confira reações mais abaixo.

A morte de João Alberto Silveira Freitas vem sendo comparada nas redes sociais ao que aconteceu com George Floyd, que morreu sufocado por policiais nos Estados Unidos.

Os agressores –um deles policial– foram presos, suspeitos de homicídio doloso. A polícia aguarda o laudo pericial e mais imagens de câmera para esclarecer o caso.

Compartilhe: