Últimas notícias:

Loading...

MP denuncia mulher que agrediu e ofendeu pessoas em padaria de SP

Lidiane Biezok teve a prisão domiciliar concedida pela Justiça após alegar problemas psiquiátricos

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Ministério Público de São Paulo denunciou ontem, 30, à Justiça Lidiane Brandão Biezok, 45 anos, flagrada ofendendo e agredindo funcionários e clientes de uma padaria Dona Deôla, na zona oeste de São Paulo, no dia 20 de novembro.

Lidiane Biezok é acusada por injúria racial, lesão corporal e homofobia. Ela teve a prisão domiciliar concedida pela Justiça após alegar problemas psiquiátricos. As informações são do G1.

padaria ataques
Crédito: Reprodução/TV Globo Lidiane Brandão Biezok agrediu e ofendeu funcionários e clientes de uma padaria com ataques racistas e homofóbicos

Na denúncia foi feita pela promotora Martha de Camargo Duarte Dias. Caberá à juíza Carla de Oliveira Pinto Ferrari, da 20ª Vara Criminal, no Fórum da Barra Funda, decidir se aceita ou rejeita a acusação. Se concordar com o Ministério Público, Lidiane se tornará ré no processo.

Ao G1, Lidiane se defendeu, e alegou que foi provocada por dois clientes quando estava comendo um sanduíche. Disse que reagiu, admitindo que se excedeu e usou inclusive termos homofóbicos contra eles. A mulher ainda afirmou que não tem nada contra gays. E negou que tenha utilizado termos racistas contra as pessoas da padaria.

“Eu não tive a mínima intenção em ofender ninguém. Eu me senti acuada, me senti uma vitima ali de uma situação que eu não tinha como sair. Fui agressiva e estúpida mas não tenho nada contra homossexuais. Peço desculpas”, disse a advogada ao G1.

Não foi exatamente isso o que aconteceu. Nas primeiras imagens do caso, a mulher aparece agredindo um cliente na padaria Dona Deôla da Pompeia. Mas o início da confusão não havia sido totalmente esclarecido. Novas gravações, divulgadas pela empresa, mostraram que houve uma briga com funcionários, inclusive com outras ofensas homofóbicas. Apesar disso, Lidiane disse que foi vítima no caso e que tem sido ameaçada na internet.

Compartilhe: