MP diz que Fabrício Queiroz recebeu mais de R$ 2 milhões em propina

O Ministério Público aponta que o ex-assessor  era o operador financeiro do esquema de 'rachadinha' no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj. Ele nega

Por: Redação

O ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro (sem partido), Fabrício Queiroz recebeu mais de R$ 2 milhões em 483 depósitos feitos por 13 assessores ligados filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido, na época em que era deputado estadual no Rio de Janeiro, segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ).

queiroz flávio Bolsonaro propina mp
Crédito: Agência BrasilMP diz que Fabrício Queiroz recebeu mais de R$ 2 milhões em propina

A defesa de Queiroz nega as acusações.

O MP-RJ obteve as informações com a quebra do sigilo bancário, proferida na decisão do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro e que deu origem a operação deflagrada, nesta quarta-feira, 18, em que o Ministério Público cumpriu  24 mandados de busca e apreensão na investigação do esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do RJ (Alerj).

O Ministério Público investiga, na operação, Queiroz e outros ex-assessores de Flávio Bolsonaro, além de parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, a ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, que foram empregados no gabinete de Flávio enquanto era deputado estadual na Alerj.

Ainda de acordo com o MP, dos R$ 2.062.360,52, depositados para Queiroz, 69% deles chegaram a conta do ex-assessor como dinheiro em espécie.

O Ministério Público ainda aponta que  quase R$ 3 milhões foram sacados da conta de Queiroz e que a “quantidade predominante de operações em ‘dinheiro vivo’ não ocorreu por mera coincidência, mas sim com a finalidade de ocultar a origem e o destino do dinheiro”. O MP ainda não identificou de onde saíram mais de R$ 900 mil em depósitos.

O MP suspeita de um esquema conhecido como “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj  (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) quando ele foi deputado estadual e manteve Queiroz como seu empregado, entre 2007-2018.

O PM aposentado Fabrício Queiroz é pivô de uma investigação que tem como alvo o senador  Flávio Bolsonaro e outras 101 pessoas físicas e jurídicas, que tiveram os sigilos bancário e fiscal quebrados em abril pela Justiça do Rio de Janeiro.

1
A repercussão dos ataques machistas à jornalista Patrícia Campos Mello
No final da última semana, Hans River do Rio Nascimento foi chamado para prestar depoimento na CPMI das Fake News. …
2
Governo Bolsonaro libera pesca em áreas de conservação ambiental
Uma portaria do Instituto Chico Mendes (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, autorizou a pesca esportiva e amadora …
3
Chuva forte deixa São Paulo debaixo d’água
A chuva que começou ontem não deu sinal de trégua e fez São Paulo amanhecer debaixo d’água nesta segunda-feira, 10. …
4
Coronavírus: aviões da FAB vão retirar brasileiros de Wuhan, na China
Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram nesta quarta-feira, 5, em direção a Wuhan, na China, para retirar os …
5
BBB20: Mulheres decidem o destino de Pétrix Barbosa
A união das mulheres  decidiu o destino de Pétrix não apenas no Big Brother Brasil 20, mas também fora da …
6
Damares Alves: abstinência sexual, protesto e contradição?
Por que este grupo de mulheres deu as costas para a ministra Damares Alves enquanto ela defendia sua política de …
7
Bolsonaro e a demissão do secretário que viajou com jato da FAB
O presidente Jair Bolsonaro anunciou em sua conta no Twitter que vai tornar sem efeito a nomeação de José Vicente …
8
Visibilidade trans: a história de Thais de Azevedo
O que é violência para você? Para Thais de Azevedo essa pergunta resume uma trajetória de vida. Como mulher trans, …