Navio da Libéria é suspeito pelo vazamento de óleo no Nordeste

Nesta quinta-feira, 31, as manchas de óleo chegaram a Porto Seguro e atingiram as praias de Arraial D'Ajuda e Trancoso

Por: Redação

Um navio petroleiro da Libéria está na lista de dez embarcações suspeitas pelo vazamento de óleo que atinge as praias do Nordeste brasileiro.

Um levantamento obtido pelo G1 aponta que embarcação, operada por uma empresa grega, saiu da Venezuela em agosto, desligou seu sistema de rastreamento e passou oculto dos radares na costa brasileira.

Crédito: Divulgação/Prefeitura de AracatiA mancha de óleo também atingiu a paria da Canoa Quebrada, em Aracati (CE) na semana passada

Segundo a reportagem, ele navegou como um “navio-fantasma” por águas internacionais no mesmo período em que surgiram as primeiras manchas de óleo.

De acordo com o G1, não se sabe se o navio está na mira das investigações da Marinha brasileira, já que os nomes das embarcações estão sob sigilo.

“Já estamos em 10 navios, estamos sintetizando a busca para chegarmos aquele [responsável]. Nesse momento são de 11 bandeiras, tem um navio que pode ser que tenha dupla bandeira”, disse o comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior.

Porto Seguro

Nesta quinta-feira, 31, as manchas de óleo chegaram a Porto Seguro e atingiram as praias de Arraial D’Ajuda e Trancoso, no sul da Bahia.

Leia mais: TURISTA PODE CANCELAR PACOTE PARA REGIÕES AFETAS POR ÓLEO SEM MULTA

No distrito de Arraial D’Ajuda o óleo apareceu nas praias do Mucugê, Pitinga e Taípe. Em Trancoso, a aparição foi de pequenas porções.

Até o momento, o óleo já atingiu 254 localidades dos nove estados da região Nordeste. Ontem, manchas de óleo foram encontradas nas cidade de Canavieiras, Belmonte e Santa Cruz Cabrália, que ficam no sul próximas a Porto Seguro, dentro da chamada região do arquipélago de Abrolhos, importante área de reprodução da biodiversidade da vida marinha.

Origem do óleo

Pesquisadores do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) da Coppe/UFRJ acreditam que o ponto de origem do despejo de óleo que polui a costa do Nordeste esteja em uma área entre 600 km e 700 km da costa brasileira, numa faixa de latitude com centro na fronteira entre Sergipe e Alagoas.

Crédito: João Arthur /Projeto TamarManchas de óleo em praia da Bahia

O trabalho foi realizado por meio de imagem de satélite, computação de alto desempenho e modelo matemático.

A área apontada fica em águas internacionais. Segundo o professor Luiz Landau, coordenador do laboratório da Coppe, essa parte da análise já foi entregue às Forças Armadas.

Até agora já foram recolhidas mais de 1 mil toneladas de resíduos das praias do Nordeste.

Compartilhe:

1
Bolsonaro deixa o PSL para fundar um novo partido político
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira, 12, que vai deixar o Partido Social Liberal (PSL) após quase dois anos …
2
Entenda a crise política na Bolívia em 8 minutos
Após 13 anos no poder, o presidente boliviano Evo Morales renunciou ao cargo no último domingo, 10, em meio a …
3
DPVAT e INSS: os impactos das medidas de Bolsonaro para a população
O presidente Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias (MPs) que prometem mudar a vida dos brasileiros. O anúncio foi feito …
4
O retrato da violência doméstica no Brasil
Cerca de 13 mulheres são assassinadas todos os dias no Brasil.  Em uma conta rápida, isso significa 4.750 mortes por …
5
O ambicioso plano de Paulo Guedes para a economia do Brasil
“Transformar o Estado Brasileiro” é o que pretende o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o pacote de ações que …
6
O que acontecerá com Lula e outros presos após a decisão do STF?
Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu mudar o entendimento sobre a prisão de condenados em …
7
03:52
No Brasil, 13,5 milhões de pessoas vivem na pobreza extrema
Dados da última edição da Síntese de Indicadores Sociais do IBGE, que analisa a qualidade de vida da população, mostra …
8
03:58
Por que o câncer do prefeito de SP está cada vez mais comum ?
Diagnosticado com um tumor no sistema digestivo, aos 39 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresenta um …