ONU: brasileiros veem melhora em comunicação com as prefeituras

Dados da consulta realizada pelo Colab com ONU-Habitat mostram evolução nos espaços de reclamação para cidadãos

Por: Colab | Comunicar erro

O Colab e o ONU-Habitat estão realizando no Brasil a consulta pública Cidades Sustentáveis, com 29 questões sobre sustentabilidade e condições de vida nas cidades brasileiras. O objetivo é traçar um diagnóstico do avanço do Brasil nas metas de desenvolvimento urbano sustentável da ONU. Quanto mais cidadãos participarem, mais preciso será esse retrato. A consulta fica no ar até o dia 24 de dezembro.

Até agora, a consulta conta com 6042 participações de cidadãos. Elas vêm de 693 cidades, ou seja, mais de 12% dos municípios do país. Para responder, basta baixar o aplicativo do Colab ou entrar no site www.colab.re. Participe e dê sua contribuição para esse diagnóstico.

O Catraca Livre está publicando, sempre às quartas-feiras, um apanhado sobre os resultados já colhidos na consulta. A cada semana, um tema abordado na consulta será destacado. A ideia é mostrar como os brasileiros avaliam a evolução das suas cidades nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU nos últimos dois anos.

Participação dos cidadãos

Um dos assuntos presentes na consulta do Colab é a abertura das administrações municipais para a participação dos cidadãos na gestão pública. Os dados mostram que, nesse quesito, as cidades brasileiras estão sendo bem avaliadas por seus moradores.

Para 54% das pessoas, existem espaços onde elas podem fazer reclamações na sua prefeitura. Aqui, Niterói se destaca: 64% das pessoas dizem que a cidade tem canais de reclamações para os cidadãos. Esse número é de 59% em São Paulo, 55% em Teresina e 66% em Belo Horizonte.

Na cidade em que vivo, quando as pessoas estão insatisfeitas com a Prefeitura, existem espaços onde elas podem fazer suas reclamações

A avaliação geral é de que a receptividade das autoridades a essas reclamações vem aumentando nos últimos dois anos. Em todo o país, 38% das pessoas concordam com essa afirmação, enquanto 34% discordam. O destaque fica para Teresina, onde 51% acredita que as prefeituras estão mais sensíveis às reclamações. Em Belo Horizonte esse número é de 42% e, no Rio de Janeiro, de apenas 14%

Na cidade em que eu vivo, as autoridades têm se tornado cada vez mais receptivas às reclamações dos cidadãos nos últimos dois anos

Nos últimos dois anos, a avaliação é de que os mecanismos existentes para a população reclamar para a Prefeitura estão aumentando no país: 58% das pessoas concordam com essa afirmação no Brasil, enquanto apenas 21% discordam. No Recife, 56% dos respondentes acreditam nessa melhora; em Teresina e Niterói, são 78%.

Na cidade em que moro, os mecanismos existentes para a população fazer reclamação para a Prefeitura estão aumentando nos últimos dois anos

“Esses números mostram que os gestores públicos estão buscando formas mais eficientes para conversar com os cidadãos”, acredita Gustavo Maia, CEO do Colab. “Os resultados estão aparecendo. Quanto mais o cidadão se sente acolhido, mais vai colaborar com a melhoria do ambiente em que vive”, completa.

Gestão participativa

Quando perguntados se há possibilidades de participação no planejamento urbano local e da gestão local, 46% das pessoas responderam que sim, é possível interferir na gestão em sua cidade. Em São Paulo, foram 50%; Em Teresina 60%, em Niterói, 61% e em Belo Horizonte, 67%. No Recife, esse número é de 48% e, no Rio de Janeiro, uma das piores avaliações: apenas 21% concorda com a afirmação.

Na cidade em que vivo, há possibilidades de os cidadãos participarem do planejamento urbano local e da gestão local

A participação da população na gestão é um dos grandes desafios encontrados pelo setor público. Para colaborar com as prefeituras nessa tarefa, o Colab vai realizar, no dia 11 de dezembro, às 20h30, a aula online Triângulo da Gestão Pública Colaborativa, aberta a todos os interessados. O objetivo da aula é ajudar qualquer colaborador do setor público a aprender sobre as bases da gestão colaborativa e conhecer casos de sucesso. Para acessar a página de inscrição, basta clicar aqui.

Compartilhe: