País passa por sucessão de desastres evitáveis, diz Raquel Dodge

Procuradora-geral da República prestou solidariedade às vítimas do incêndio no CT do Flamengo

Por: Redação | Comunicar erro

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, prestou solidariedade às vítimas do incêndio que atingiu o alojamento da categoria de base do Flamengo nesta sexta-feira, 8. Em discurso durante sessão do Conselho Superior do Ministério Público, ela ainda pontuou que o Brasil passa por uma “sucessão de fatos e desastres evitáveis” e “preveníveis”.

Adolescentes entre 14 e 17 anos estão entre as vítimas do fogo que tomou o Ninho do Urubu e matou dez pessoas. As dependências do clube eram antigas e estavam sendo desativadas em função da construção de um novo complexo para atender os jogadores profissionais e de base do Flamengo. A previsão é que os jovens fossem transferidos para o novo local até o final do mês, conforme indica uma matéria do portal O Globo.

A fala da procuradora também inclui a tragédia que aconteceu Brumadinho, em Minas Gerias no dia 25 de janeiro. O rompimento da barragem da mina do Córrego de Feijão causou uma onda de destruição.  Até o momento, 157 mortes foram confirmadas e 182 pessoas continuam desaparecidas, entre moradores da região e trabalhadores da mineradora Vale, responsável pela estrutura. Bombeiros ainda atuam no local.

Raquel Dodge
Crédito: José Cruz/Agência BrasilA procuradora-geral da República, Raquel Dodge, lamentou a morte dos dez jovens no incêndio que atingiu hoje.

Prevenção de desastres

Para a Dodge, os episódios revelam “a grande dificuldade que temos tido de prevenir desastres de grandes proporções, seja em áreas urbanas, seja em área rural”.

“Eu queria iniciar esta sessão extraordinária, portanto, enviando em nome de todos os conselheiros no MPF condolências às vítimas, aos seus familiares e a toda a população brasileira, porque estamos vendo uma sucessão de fatos e desastres evitáveis, preveníveis e precisamos estar atentos a eles para que as instituições de controle, fiscalização e punição realmente funcionem no Brasil”, afirmou Dodge.

Nesta mesma semana, chuvas fortes atingiram o Rio de Janeiro e também deixaram muitos rastros de destruição. Além de Apagões, árvores caídas, um trecho da Avenida Niemeyer foi interditado onde parte da ciclovia desabou. Um ônibus foi soterrado pela queda de uma encostas e outros desabamentos também foram registrados em diferentes pontos. A Prefeitura confirmou a morte de 6 pessoas.

Dodge defendeu medidas para prevenção de desastres e disse que Justiça deve funcionar para obter a reparação do dano às vítimas.

Compartilhe:

1 / 8
1
02:53
Suzano e Nova Zelândia: os impactos da exposição excessiva
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, disse que o nome do atirador que matou 50 pessoas em uma mesquita em …
2
02:28
Posse de armas: Nova Zelândia dá exemplo de civilidade ao mundo
Após chocar o mundo nesta semana com o massacre de 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, a Nova Zelândia …
3
03:10
Entenda o mistério por trás da boneca Momo
Ainda mais perturbador, o Desafio da Momo está de volta e desta vez a boneca aparece supostamente dentro de vídeos …
4
02:25
Bolsonaro apoia a construção de muro entre EUA e México
Em viagem diplomática a Washington, o presidente Jair Bolsonaro disse apoiar a construção do muro na fronteira entre EUA e México, …
5
01:42
A nova decisão do STF e o futuro da Lava Jato
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a partir de então os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção quando …
6
02:31
Atentado na Nova Zelândia: crimes transmitidos nas redes sociais
Mais um atentado terrorista chocou o mundo nesta sexta-feira, dia 15. Um atirador realizou ataques simuntâneos em duas mesquitas, deixando …
7
01:45
O lugar em que os atiradores de Suzano foram considerados heróis
Uma reportagem publicada nesta terça-feira, 14, pelo portal da Vice indica que os atiradores que invadiram a Escola Estadual Raul …
8
04:17
Últimas notícias sobre a tragédia em Suzano