Paulo Coelho sugere que Bolsonaro fume maconha para acalmar

O escritor, que lutou contra a ditadura militar e foi torturado, vive na Europa há muitos anos

Neste domingo, 8, Paulo Coelho sugeriu por meio do Twitter que Jair Bolsonaro (sem partido) e sua equipe fumem maconha para acalmarem. Nas últimas semanas, o presidente tem feito declarações cada vez mais agressivas.

“Eu não uso desde 1982, mas acho que acalma. O Planalto e seu rei nu se beneficiariam muito. À venda em qualquer supermercado suíço”, escreveu.

https://twitter.com/paulocoelho/status/1424368330362736643

Bolsonaro x STF

Na quarta-feira, 4, o presidente foi incluído no inquérito que apura a divulgação de fake news pelo ministro Alexandre de Moraes.

A notícia-crime que colocou Bolsonaro no inquérito foi assinada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e atende ao pedido dos ministros proferida na sessão realizada na última segunda, 2.

Bolsonaro ameaça Alexandre de Moraes: ‘A hora dele vai chegar’
Créditos: Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro ameaça Alexandre de Moraes: ‘A hora dele vai chegar’

O ministro levantou a possibilidade de o presidente ter cometido uma série de crimes previstos no Código Penal e no Código Eleitoral.

“As condutas noticiadas, portanto, configuram, em tese, os crimes previstos nos arts. 138 (calúnia), 139 (difamação), 140 (injúria), 286 (incitação ao crime), 287 (apologia ao crime ou criminoso), 288 (associação criminosa), 339 (denunciação caluniosa), todos do Código Penal, bem como os delitos previstos nos arts. 17, 22, I, e 23, I, da Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83) e o previsto no arts. 326-A da Lei 4.737/65 (Código Eleitoral).”

A decisão levará em consideração os últimos ataques de Bolsonaro às urnas eletrônicas.

O presidente intensificou as declarações contra o sistema eleitoral ao mesmo tempo em que a CPI da Covid avançou nas investigações e encontrou indícios de prevaricação.