PF prende blogueiro bolsonarista por risco de fuga do país

Oswaldo Eustáquio é investigado no inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos

Por: Redação

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira, 26, o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio em Campo Grande (MS). Investigado no inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos, a suspeita é que ele deixaria o país

O mandado de prisão foi autorizado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, responsável pelo inquérito.

Crédito: Reprodução/TwitterPF argumentou no pedido de prisão que havia risco do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio fugir do pais

Ex-assessor do Ministério dos Direitos Humanos, Oswaldo Eustáquio já tinha sido alvo de uma ordem de busca e apreensão há duas semanas.

O blogueiro é ligado a extremista Sara Winter, líder do acampamento autointitulado “300 do Brasil”, que ficou presa por dez dias e agora está em prisão domiciliar usando tornozeleira eletrônica.

Policiais federais já estavam monitorando os passos de Oswaldo Eustáquio, pois havia chances de que ele fugisse para o Paraguai. Recentemente ele publicou um vídeo em que estava na cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira com o Brasil.

Em uma mensagem publicada em seu perfil no Twitter Oswaldo diz que é um “preso político”,

A terra plana gira

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) usou as redes sociais para debochar da prisão do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio.

No ano passado, Oswaldo atacou David por conta das denúncias da “Vaza Jato”, publicadas pelo site Intercept, do jornalista Glenn Greenwald, com quem o parlamentar é casado.

Usando uma foto do casal o blogueiro escreveu: “O casal Glenn e David estão debochando do Pavão. Mas, quem logo vai estar atrás das grades é o gringo, cúmplice do maior crime virtual da história do Brasil. Força Pavão, nós sabemos a sua importância e contribuição!”.

O pavão, ao qual o blogueiro cita na mensagem, era um perfil nas redes sociais que tinha como alvo políticos de esquerda e jornalistas do site The Intercept Brasil, pelas divulgações de conversas entre o ex-ministro Sergio Moro e integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato.