Últimas notícias:

Loading...

Polícia prende suspeito de matar cão afogado em Copacabana

Zali Grilo Neiva forçou seu cão a entrar no mar

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A Polícia Militar do Rio de Janeiro prendeu ontem, 18, um homem de 45 anos suspeito de matar um cachorro afogado na praia de Copacabana, na zona sul da capital fluminense.

Testemunhas contaram à polícia que Zali Grilo Neiva estava com uma mulher e forçava o cão a entrar no mar. Banhistas contaram que o animal, da raça buldogue francês, parecia não querer mergulhar. As informações são do G1.

cão afogado
Crédito: Reprodução/TV GloboPolícia prende suspeito de matar cão afogado em Copacabana

“Eles estavam alcoolizados e o proprietário do cachorro levou o animal para o fundo do mar. O cão resistiu e não queria ir e ele, mesmo assim, forçou o cachorro a entrar e o levou para o fundo. Ele se afogou e, quando ele tirou o cachorro da água, ele já não estava mais respirando”, afirmou a tenente Greice, que atendeu a ocorrência.

De acordo com a reportagem do G1, os banhistas chamaram a Guarda Municipal e PMs

.Zali foi preso por maus tratos e levado para a 12ªDP (Copacabana).

Outro caso de maus tratos

Ontem, uma mulher também foi presa em flagrante por suspeita de tentar afogar uma cachorrinha na praia do Recreio, na zona oeste do Rio.

Um banhista que estava na praia percebeu os maus tratos ao animal e chamou os PMs do Programa Recreio Presente, que foram até o mar e resgataram a cachorrinha, que é filhote.

Maus-tratos aos animais

Maus-tratos aos animais sempre existiram. Felizmente, as redes sociais potencializam a discussão desse crime na sociedade e fazem repercussão a essas atrocidades, facilitando com que casos recentes sejam finalmente julgados. Mas quais atitudes são consideradas maus-tratos aos animais?

Além da violência, existem outras ações às quais cabem punição. São elas:

  • Abandono;
  • Agressões físicas, como: espancamento, mutilação, envenenamento;
  • Manter o animal preso a correntes ou cordas;
  • Manter o animal em locais não arejados – sem ventilação ou entrada de luz;
  • Manter o animal trancado em locais pequenos e sem o menor cuidado com a higiene;
  • Manter o animal desprotegido contra o sol, chuva ou frio;
  • Não alimentar o animal de forma adequada e diariamente;
  • Não levar o animal doente ou ferido a um veterinário;
  • Submeter o animal a tarefas exaustivas ou além de suas forças;
  • Utilizar animais em espetáculos que possam submetê-los a pânico ou estresse;
  • Capturar animais silvestres.

Veja como denunciar no link abaixo.