Prefeitura de SP proíbe utensílios plásticos em estabelecimentos

A lei foi sancionada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) nesta segunda-feira, 13

Por: Redação
copos plásticos
Crédito: PamWalker68 / iStockNo lugar do plástico, os estabelecimentos terão que fornecer materiais biodegradáveis, compostáveis e/ou reutilizáveis

Após banir os canudinhos, o prefeito Bruno Covas (PSDB) sancionou nesta segunda-feira, 13, uma lei municipal que proíbe estabelecimentos comerciais de distribuírem utensílios plásticos aos clientes. A lei entra em vigor a partir de 1 de janeiro de 2021.

De acordo com o texto aprovado pela Câmara Municipal no dia 10 de dezembro de 2019, fica proibido o fornecimento de copos, pratos, talheres, agitadores para bebidas e varas para balões descartáveis feitos de material plástico aos clientes de hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais.

A legislação também vale aos espaços para festas infantis, clubes noturnos, salões de dança, eventos culturais e esportivos de qualquer espécie. Nos espaços para festas infantis deverão ser oferecidas alternativas seguras, como pratos de papel e copos de plástico reutilizáveis.

No lugar dos produtos de plástico descartáveis, poderão ser fornecidos outros com as mesmas funções elaborados com materiais biodegradáveis, compostáveis e/ou reutilizáveis.

As penalidades para quem não obedecer as novas regras vão de advertência e intimação para regularizar a atividade (após a primeira autuação) até multa e fechamento administrativo do estabelecimento (após sexta autuação).

Segundo o prefeito Bruno Covas, o compromisso ambiental é um compromisso ético desta geração com as futuras gerações. “A lei que proibiu os canudos plásticos preparou a população e mostra que é viável que outras leis como essa venham. Essa sanção social vem com uma mudança de padrão para evitar a explosão dos gases de efeito estufa presentes nos aterros sanitários”, disse.

Canudinhos

Em junho do ano passado, a cidade de São Paulo proibiu o fornecimento de canudos feitos de material plástico aos clientes de hotéis, restaurantes, bares, padarias e outros estabelecimentos comerciais. A medida também foi aplicada em clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais de qualquer espécie.

No lugar do material plástico, os estabelecimentos passaram a ter de fornecer canudos em papel reciclável, material comestível, ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados feitos do mesmo material.

A proibição de canudos e outros materiais plásticos tem como objetivo incentivar a reciclagem de materiais e impulsionar a transição para uma economia circular, cujo modelo de negócio e desenvolvimento econômico é alternativo ao linear (extrair, produzir e descartar).

Quer saber mais sobre como fazer reciclagem do lixo de casa? Confira:

Muitas vezes a gente tenta fazer a reciclagem do lixo de casa, mas acaba errando na maneira de separar os resíduos. Mas não desanime! Saber como separar o lixo corretamente é o primeiro passo para a destinação, a disposição e o tratamento (inclui reciclagem, incineração, entre outros) adequados do lixo.

Poucos minutos de dedicação para a separação do lixo doméstico ou outro tipo de lixo podem evitar danos significativos às pessoas e ao meio ambiente, economizar energia, matéria-prima, água e espaço de aterros, e ainda gerar renda.

Para a reciclagem do lixo adequada é preciso ficar de olho nos tipos de materiais que são descartados.

Os resíduos são divididos em:

Orgânicos

Os orgânicos podem ser reciclados em casa por meio da compostagem ou embalados em sacolas biodegradáveis e encaminhados para aterros.

Recicláveis não perigosos

Os recicláveis devem ser higienizados, embalados em materiais também recicláveis e destinados para a reciclagem.

Não recicláveis não perigosos

Os não recicláveis não perigosos podem ser embalados em sacolas biodegradáveis e enviados para aterros sanitários.

Perigosos

Os perigosos, por sua vez, merecem uma atenção especial para cada tipo de resíduo.

Como separar o lixo reciclável?

O lixo reciclável é composto principalmente pelo papel, papelão, vidro,  alguns tipos de plástico e alumínio.

O ideal é que na reciclagem do lixo você os separe de acordo com seu tipo: alumínio vai com alumínio, vidro vai com vidro, plástico PET vai com plástico PET.

Mas às vezes é difícil ter tempo e espaço para fazer trabalhar dessa forma. Se você não tiver tempo e espaço para fazer a seleção mais minuciosa, não se preocupe porque o mais importante na reciclagem é a higienização do lixo.

Lavar os recipientes de plástico e alumínio, por exemplo, evita que ele se transforme em local de reprodução de vetores de doenças e venha a causar desconforto aos trabalhadores que recolhem e manuseiam esse tipo de material.

Para facilitar a limpeza do material, você pode deixar a embalagem dentro da pia durante o dia, para que a água utilizada para lavar as mãos e a louça caia sobre ela, atuando como uma água reutilizada.

Depois de seco, o lixo reciclável deve ser embalado em sacos de lixo (não biodegradáveis reciclados ou recicláveis, de preferência).

Se entre os resíduos tiver vidro quebrado, atente-se ao descarte correto para que não aconteça acidentes durante o processo de coleta e reciclagem.

A reciclagem do papel também precisa de cuidados. O ideal é não amassá-lo, para que ele não perca suas fibras de celulose e, por consequência, seu valor comercial para reciclagem.

Saiba mais sobre reciclagem aqui.

Compartilhe: