Informar

Projeto colaborativo mapeia as zonas sem cobertura wi-fi no RS

A iniciativa foi criada por alunos de um curso voltado a desenvolver intervenções de impacto social nas cidades

Por: Redação | Comunicar erro
  • “Zona LIVRE de wi-fi. Senha: curta a natureza.” 

Em tempos de redes sociais e tecnologias novas, o contato entre as pessoas e a noção de coletividade ficaram ainda mais prejudicados.

Pensando nisso, os alunos de um curso voltado a desenvolver intervenções de impacto social na cidade, chamado Makers Society, de Pelotas (Rio Grande do Sul), decidiram mapear colaborativamente as zonas das cidades que não têm cobertura wi-fi, identificando lugares para quem quiser fugir do mundo digital.

“A turma percebeu que vivemos procurando locais com wi-fi aberto, mas as melhores conexões são formadas nos lugares sem internet, e as melhores lembranças de momentos em que vivemos é, na maioria das vezes, offline”, afirma o grupo ao Catraca Livre.

As sinalizações são feitas com um adesivo ou uma placa, e têm a seguinte mensagem: “Zona livre de wi-fi. Senha: ____”. O espaço para colocar a senha deve ser preenchido com alguma atividade que não precise da rede, como conversar com os amigos.

Já são três pontos com as placas em Pelotas e um em Porto Alegre, mas a ideia é espalhar o projeto para outros estados. “Todos que quiserem replicar a ideia são bem vindos. Basta verificar no celular se a zona não possui wi-fi disponível, baixar o arquivo neste link e instalar onde quiser”, explicam os alunos.

“Pensamos em convidar estabelecimentos para que também imprimam e coloquem a identificação. Sejam bares, mercados ou lojas, quanto mais gente melhor. Todos os lugares que aderirem serão divulgados em um mapa que será atualizado a cada mês no Facebook”, finalizam.

Assista ao vídeo:

  • Leia mais:

Em Londres, geladeira pública oferece comida e evita desperdício

Compartilhe: