‘Quantos mais precisarão morrer?’, tuitou Marielle na terça-feira

A vereadora do PSOL foi assassinada após deixar um evento no centro do Rio; a suspeita é de execução

Por: Redação Comunicar erro
A vereadora foi assassinada após um evento que participou

A vereadora Marielle Franco (PSOL) publicou em sua conta no Twitter um desabafo sobre a criminalidade no Rio de Janeiro um dia antes de ser assassinada ao deixar um evento no centro da cidade. A parlamentar e o motorista foram baleados dentro de um carro na noite desta quarta-feira, dia 14. A suspeita é de execução.

“Mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da PM. Matheus Melo estava saindo da igreja. Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?”, escreveu Marielle na terça-feira, dia 13, em referência à morte de um jovem no Jacarezinho, na segunda, dia 12.

No sábado, dia 10, a vereadora também questionou nas redes sociais as ações truculentas da Polícia Militar na comunidade de Acari. “O que está acontecendo agora em Acari é um absurdo! E acontece desde sempre! O 41° batalhão da PM é conhecido como Batalhão da morte. CHEGA de esculachar a população! CHEGA de matarem nossos jovens“, disse.

De acordo com a investigação, bandidos dentro de um carro dispararam contra o veículo de Marielle e fugiram sem levar nada. A vereadora foi atingida por ao menos quatro tiros na cabeça e a perícia encontrou nove cápsulas de tiros no local. A assessora Fernanda Chaves sobreviveu ao ataque e já prestou depoimento.

No momento do crime, a parlamentar estava no banco de trás, no lado do carona. Como o carro tem filme escuro nos vidros, a polícia acredita que os criminosos tenham acompanhado o grupo por algum tempo, tendo conhecimento da posição exata das pessoas. O motorista foi atingido por 3 tiros na lateral das costas e morreu.

O corpo de Marielle será velado na Câmara dos Vereadores a partir das 11h desta quinta-feira, dia 15.

  • Leia também:
1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …