Últimas notícias:

Loading...

Região da Luz: durante e depois da Virada Cultural

O Jardim da Luz se transforma num espaço a ser explorado durante a Virada Cultural. Mas se você gosta da programação artística da região, prepare-se para uma exposição fotográfica que acontece na Pinacoteca do Estado.

Por: Redação

Lanternas darão vez às luzes no momento de uma visita noturna no Jardim da Luz, durante a Virada Cultural. A partir das 18h do sábado, 2, os visitantes que comparecerem ao local saberão um pouco mais sobre cada detalhe que lá existe. Além disso, acontecerão neste mesmo horário, apresentações noturnas de bandas musicais.

O Jardim da Luz é tido como um dos espaços públicos mais antigos da cidade de São Paulo. Tem uma área de 81.758 m2, entre os quais 48.376 m2 de vegetação implantada, 29.422 m2 de caminhos, 3.068 m2 de lagos e 892 m2 de edificações

Léo BurgosJardim da Luz
Durante a noite, todos esses espaços serão explorados com uma lanterna

Depois da Virada

A programação cultural na região do bairro da Luz não para por ai. Estréia, na Pinacoteca do Estado, dia 16 de maio, a exposição “Um Acervo em Preto e Branco”, com 80 fotografias de Cláudia Andujar, Boris Kossoy, Carlos Moreira, Cristiano Mascaro, Fernando Lemos, German Lorca e Thomaz Farkas. Todas as imagens foram doadas ao arquivo do museu entre os anos de 2000 e 2008.

Cláudia Andujar nasceu em 1931 na Suíça. Tem uma série de trabalhos em preto e branco, com retratos de índios e sua cultura.

Boris Kossoy atuou na área de jornalismo, publicidade e retrato. Em seu livro “Viagem pelo Fantástico” explora o mundo fotográfico com a realidade.

Carlos Moreira é economista de formação, mas fotógrafo de carreira (começou a se dedicar na fotografia quando estudava na faculdade). Fez retratos sobre a capital e interior de São Paulo.

Cristiano Mascaro é arquiteto e fotógrafo. Fez fotos sobre o livro “O Metrô de São Paulo – Tecnologia e Humanização”.

Fernando Lemos é conhecido como artista gráfico e poeta. Dedicou-se a fotografia durante a década de 1940. Natural de Lisboa fez diversas imagens sobre o período salazarista em Portugal. Lemos veio para o Brasil na década de 1980.

German Lorca é conhecido por ser dono de fotos em que registra situações singulares. Entre as décadas de 1940 e 1950 produziu imagens como “Malandragem” (1949) e “Apartamentos” (1952).

Thomaz Farkas iniciou sua carreira de fotógrafo ainda na década de 1940. Foi responsável pelo projeto de instalação de laboratórios fotográficos no MASP e também da Escola de Comunicação de Artes da Universidade de São Paulo.

Veja as imagens dos fotógrafos

Compartilhe:

?>