Técnica de time feminino do Acre pede demissão após contratação do goleiro Bruno

Rose Costa usou suas redes sociais para comunicar o desligamento e justificou que "educamos pelo exemplo" ao citar a contratação do goleiro

Por: Redação

Após perder o único patrocinador, o Rio Branco-AC sofreu mais uma baixa. A técnica do time feminino, Rose Costa, pediu demissão na última terça-feira, 28. O motivo: a contratação do goleiro Bruno Fernandes, condenado pelo assassinato da modelo Eliza Samúdio.

Em um texto publicado no Instagram, Rose Costa diz que entende o momento difícil financeiramente que o clube passa, mas que sua história e crenças impedem de permanecer no time.

goleiro Bruno
Crédito: Divulgação/Polícia CivilO goleiro Bruno Fernandes foi contratado pelo Rio Branco-AC

“Deixo minha gratidão pela oportunidade, mas preciso esclarecer também que minha história de vida como mulher e profissional me impendem de permanecer no Rio Branco. Como disse, não questiono e nem tampouco julgo suas decisões, mas preciso respeitar a minha história e minhas crenças de que educamos pelo exemplo e, no esporte de rendimento, atletas são figuras públicas, socializam e influenciam comportamentos”, disse Rose no post.

View this post on Instagram

Informo que à partir desta data ME DESLIGO da função de técnica/treinadora do RIO BRANCO Futebol Clube FEMININO, motivo: a contratação do Goleiro Bruno para compor o elenco da equipe masculina do nosso ESTRELÃO. Quero aqui esclarecer que entendo o momento por qual passa o Rio Branco e a grande maioria dos clubes de futebol acreanos, as dificuldades financeiras como também a oportunidade da contratação do Goleiro Bruno, bem como, ainda, a sua “boa” intenção, no sentido de tornar a equipe competitiva e forte. Deixo minha gratidão pela oportunidade, mas preciso esclarecer também que minha história de vida como mulher e profissional me impendem de permanecer no Rio Branco. Como disse, não questiono e nem tampouco julgo suas decisões, mas preciso respeitar a minha história e minhas crenças de que educamos pelo exemplo, e no esporte de rendimento, atletas são figuras públicas, e socializam e influenciam comportamentos, e meu humilde entendimento é que essa oportunidade dada ao Goleiro Bruno, em nossa amada equipe, legitima a ineficiência das leis em nosso país, socializa ainda mais a impunidade aos feminicidas e por fim, macula a imagem de nossa equipe, pois o crime orquestrado por ele é reconhecidamente hediondo, e isso não deve ser personificado na função de atleta de rendimento do nosso clube que tem uma história linda na construção de grandes atletas que são espelhos para toda a nossa juventude e sociedade. Entendam: NUNCA FOI E NUNCA SERÁ SÓ FUTEBOL!!

A post shared by Rose Costa (@rosecostaaacre) on

Em entrevista ao UOL, a profissional alegou que se sentiu triste, revoltada e que sua ética profissional a impediu de compactuar com a decisão do reforço do time acriano.

“Foi uma decisão unilateral, uma vez que parte da diretoria não concordava com essa contratação. Soube que o presidente havia fechado negócio com o Bruno por meio da imprensa, acredita? Mesmo com apelo —tanto de torcedores como de funcionários do clube—, não houve como negociar”, disse Rose.

O anuncio da contratação do goleiro Bruno foi feito pelo presidente do clube acreano, Neto Alencar, em um vídeo publicado uma rede social no último domingo, 26. O time disputa a série D do Campeonato Brasileiro.

Rose conta que, no mesmo dia em que o vídeo foi publicado, ela informou à direção do Rio Branco seu desligamento. A equipe, que treinou até março, disputaria o Campeonato Acreano feminino neste ano, adiado por causa da pandemia.

Em 2013, o goleiro Bruno Fernandes foi condenado há 20 anos e 9 meses pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho, em 2010.

Até hoje o corpo de Eliza não foi encontrado.  Atualmente, ele cumpre sua pena no regime semiaberto. Antes da condenação, havia defendido Atlético-MG e Flamengo.

Compartilhe: