TSE julga admissibilidade da candidatura de Lula

o Tribunal Superior Eleitoral analisa a possibilidade do ex-presidente disputar as eleições de 2018

Por: Redação | Comunicar erro
Lula
Crédito: DivulgaçãoCandidatura de Lula é reafirmada pelo PT

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vota nesta sexta-feira, 31, a admissibilidade ou não da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva às eleições de 2018.

Preso desde abril após ser condenado pelo TRF-4 no processo envolvendo o tríplex do Guarujá, o petista pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, e corre o risco de ser impugnado.

ATUALIZADO

Faltando pouco para o encerramento da sessão, a maioria dos ministros do TSE determinaram que Luiz Inácio Lula da Silva não poderá concorrer à presidência da República.

Se tudo ocorrer conforme já vinha sendo especulado, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, assumirá o posto de candidato ao Planalto do PT, tendo como vice Manuela D’Ávila do PCdoB.

Veja os principais pontos da votação até o momento. 

Barroso

Ministro relator do caso, Luís Roberto Barroso votou pela inadmissibilidade do petista para disputar o pleito presidencial em outubro.

Em seu parecer, Barroso apontou que “diante da incidência da causa de inelegibilidade na Lei da Ficha Limpa, diante da impossibilidade dar cumprimento à medida cautelar expedida pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU e da improcedência de todas as demais teses da defesa, eu voto pela procedência das impugnações e pelo reconhecimento da incidência da causa de inelegibilidade e, com consequência, indefiro o pedido de registro do candidato Luiz Inácio Lula da Silva ao cargo de presidente da República nas eleições de 2018”.

Edson Fachin

Segundo ministro a votar no julgamento do TSE Luiz Edson Fachin foi favorável à admissibilidade da candidatura do ex-presidente Lula, alegando que, “por conta da recomendação da Comissão Direitos Humanos da ONU, se impõe, em caráter provisório, reconhecer direito” do petista “de se candidatar à Presidência da República nas eleições de 2018”.

Continuaremos atualizando esta matéria conforme os demais ministros forem proferindo seus respectivos votos.

Jorge Mussi

Terceiro votante sobre o processo que analisa a permanência de Lula na corrida presidencial, o ministro Jorge Mussi acompanhou o voto do ministro relator Roberto Barroso, que indefere a candidatura do petista, citando a legitimidade Lei da Ficha Limpa.

“A Lei da Ficha Limpa, cuja constitucionalidade foi reconhecida pelo STF, representa essencial mecanismo de iniciativa popular para proteção de probidade administrativa e da moralidade para exercício de mandato considerando a vida pregressa do candidato, e aplica-se a todos os cidadãos que queiram postular cargo eletivo perante a Justiça Eleitoral”, pontuou.

 Og Fernandes

O ministro Og Fernandes foi “sucinto” ao proferir seu voto, acompanhando o parecer do ministro relator Roberto Barroso, barrando a possibilidade de candidatura do ex-presidente Lula.

Para Og, “o pedido do Comitê de Direitos Humanos da ONU para que o Brasil não impeça a candidatura de Lula até condenação final não tem ação vinculante”.

Admar Gonzaga

Quinto ministro a proferir voto no processo que julga a admissibilidade da candidatura do ex-presidente Lula, Admar Gonzaga acompanhou o ministro relator, Luís Roberto Barroso, pela não elegibilidade do petista.

Para Admar, o TSE não investiga a culpabilidade do candidato em relação a fatos cuja competência é de outros órgãos do poder Judiciário, nem avalia se a condenação foi “justa” ou “injusta”, cabendo, pois, ao “STF ou ao STJ deliberar a respeito”.

Compartilhe:

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …