Últimas notícias:

Loading...

Web compara campanhas de Lula e Bolsonaro nas festas da Independência em Salvador

Além deles, Ciro Gomes e Simone Tebet também estão presentes na capital da Bahia para comemorar a Independência do Brasil

Por: Redação

A presença do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), e dos presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) simultaneamente em Salvador (BA) neste final de semana tem repercutido muito nas redes sociais.

Todos os principais postulantes ao cargo de Presidente da República se encontram na capital da Bahia para comemorar os festejos da Independência do Brasil. O estado baiano comemora a data em 2 de julho pois foi nesta data, em 1823, que o exército libertador brasileiro, que havia expulsado os portugueses, pisou na Bahia.

Nas redes sociais, um dos principais assuntos comentados hoje é a diferença de público entre a motociata liderada por Bolsonaro na orla atlântica da cidade e a passeata comandada por Lula. O ex-presidente foi cercado por uma multidão e teve dificuldades para caminhar, enquanto a motociata do atual presidente não estava muito cheia.

Ciro e Tebet chegaram por volta das 8h30 para a “caminhada do 2 de Julho”, a mesma da qual Lula participou. Ciro seguiu com uma comitiva do PDT – na Bahia, o partido integra a base do ex-prefeito de Salvador ACM Neto. Já Tebet seguiu com o ex-deputado Roberto Freire, presidente do Cidadania e lideranças locais.

Veja abaixo as reações das redes sociais às presenças dos presidenciáveis em Salvador:

Independência do Brasil em 2 de julho?

A Bahia comemora a Independência do Brasil em 2 de julho, com festas e passeatas. Aa festividades remetem à chegada de um exército libertador brasileiro (uma tropa maltrapilha) a Salvador, em 2 de julho de 1823. Foram eles que expulsaram os portugueses daqui.

Os primeiros soldados começaram a chegar pela manhã. Não pareciam fazer parte de um exército vitorioso. Estavam descalços, quase nus, fracos e cansados.

Na Bahia, os festejos de 2 julho têm maior participação popular, com desfiles pelas ruas e festas nas casas de Salvador, que duram o dia todo. A data marca o fim de uma guerra que começou em 1822.

“A Guerra de Independência na Bahia começou dois meses e meio antes do Grito do Ipiranga, quando a câmara da cidade de Cachoeira aclamou D. Pedro como príncipe regente, desligando-se das Cortes de Lisboa”, conta o historiador e escritor Paulo Rezzutti, autor do livro Independência, a história não contada: a construção do Brasil de 1500 a 1825.

Os portugueses não gostaram dessa decisão e, com o auxílio de um navio, atacaram pessoas que estavam saindo de uma missa em celebração, mas a população e os soldados reagiram, até que a embarcação se rendesse.

Compartilhe:

?>