Dimenstein: por que aceito o ensino domiciliar e a maconha

Por: Redação | Comunicar erro

Esse debate sobre ensino domiciliar tem muito mais a ver com eleição do que educação.

Mas me sinto obrigado a respeitar esse direito.

Apenas uma ínfima minoria vai estudar em casa, enquanto temos mais de 45 milhões de crianças e adolescentes na escola.

Essa foi uma promessa de campanha para atender os evangélicos.

Não recomendaria a ninguém ensino domiciliar.

Eu passei por duas universidades de ponta ( Harvard e Columbia). Sem falsa modéstia digo que sou bem-sucedido em minha carreira – o que exige uma série de conhecimentos nas mais variadas áreas.

Tive dois casamentos com duas mulheres que, ao contrário de mim, sempre foram as melhores alunas no ensino médio e fundamental.

Minha atual mulher – Anna, educadora – tem trauma até porque um professor de português lhe deu a única baixa em toda a sua vida escolar. Ela jura que foi perseguição.

Âmbar, mãe dos meus filhos, era bolsista em uma das escolas mais tradicionais de São Paulo ( Dante). Era obrigada ( e fazia sem grande esforço) a tirar notas altas.

Mesmo assim, eu jamais ousaria educar meus filhos em casa.

Não me sentiria habilitado a compensar a experiência de socialização.

Nem saberia ensinar química, física e matemática.

Feitas as ressalvas, digo que devo respeitar a decisão dos pais que querem ensinar seus filhos em casa.

Podemos advertir sobre os riscos, mas eles devem ter a liberdade de escolher.

É a mesma coisa que falo sobre a maconha.

Não fumo, não uso drogas e sou abstêmio – não bebo uma gota de álcool.

Mas não quero prender quem fuma maconha.

Odeio o cigarro, que eu considero ainda pior do que a maconha.

Mas não vou querer proibir.

Nosso papel como educadores e comunicadores é advertir, informar e até tentar convencer.

A decisão, porém, é do indivíduo.

Os pais que assumam a responsabilidade de ter filhos que não conseguem entrar no mercado do trabalho.

Ou saiam por aí repetindo asneiras sobre Darwin ou genética, não entendam o que é hélice dupla do DNA, Big Bang, sistema heliocêntrico.

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …