Olavo critica Bolsonaro e chama militares de “palhaços fardados”

Por: Redação | Comunicar erro

Obrigado, sr. presidente, pela chance que o senhor me deu de ser o seu boi-de-piranha, levando nas minhas costas pelo menos metade das pancadas que lhe eram dirigidas e em seguida sendo acusado de ter o comportamento divisionista que de fato é o do seu querido vice-presidente.

Essa mensagem postada no Facebook é a primeira crítica do filósofo Olavo de Carvalho a Jair Bolsonaro.

Olavo de Carvalho é tido como guru da família Bolsonaro.

Olavo ainda chama militares de “palhaços fardados”.

A esquerda, segundo esses palhaços fardados, nem existe mais: apenas criou a maior organização política que já atuou na América Latina, controla totalmente a mídia e as universidades e pode se aliar a quadrilhas de sequestradores e traficantes sem que seja permitido sequer acusá-la disso.

Razão da iritação: a nota do presidente sobre os ataques de Olavo de Carvalho ao vice-presidente Hamilton Mourão.

Pela primeira vez, Jair Bolsonaro criticou seu guru, o filósofo Olavo de Carvalho.

Ele disse que as críticas do filósofo “não contribuem” com o governo.

“Suas recentes declarações [de Olavo de Carvalho] contra integrantes dos poderes da República não contribuem para a unicidade de esforços e consequente atingimento de objetivos propostos em nosso projeto de governo”, afirmou Bolsonaro em nota oficial.

A nota foi lida pelo porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros.

Olavo de Carvalho foi um dos responsáveis pela maior gafe de Bolsonaro nas redes sociais.

O presidente publicou vídeo em que o guru faz ofensas graves aos militares e ao golpe militar.
Não apenas ofensas, mas absurdos históricos, como dizer que os militares ajudaram a colocar os comunistas no poder.
O presidente publicou em seu perfil um vídeo de Olavo de Carvalho, seu guru e de seus filhos.
Nele, o filósofo diz que, que os “milicos” nas últimas décadas só fizeram “cagada”.
“Esse pessoal subiu ao poder em 1964, destruiu os políticos de direita e sobrou o quê? Os comunistas, que tomaram o poder. Eles dizem: ‘Livramos o país dos comunistas’. Não, eles entregaram o país ao comunismo.”

“Se tivessem vergonha na cara, confessariam seu erro, mas é só vaidade pessoal, vaidade grupal e vaidade esotérica. Os milicos têm que começar a confessar os seus erros.”

“Essa é a lei de Cristo. Primeiro, os seus pecados. Depois, os dos outros. Criaram o PT e não têm coragem de confessar.”

Mais:
“Todos querem entrar na elite, não derrubar a elite. Tudo o que querem é ficar em Brasília, brilhar e embolsar o dinheiro do governo”.

Ou seja, além dizer que comunistas ajudaram a esquerda – o que é um absurdo histórico -, Olavo atacou o golpe militar e, para completar, afirma que os só têm interesse no “dinheiro” do governo, ou seja, nenhum patriotismo.

Com essa publicação, Bolsonaro apenas mostrou aos seus próprios colegas de fardas sua irresponsabilidade como governante.

Além de suscitar desconfiança entre os militares, por ser discípulo de um sujeito que, para muitos generais, é apenas um lunático.

Diante da repercussão, o post sai do ar.

1 / 8
1
02:28
Bolsonaro deveria ser processado por homicídio culposo
Está repercutindo no país o desfecho da morte da modelo Caroline Bittencourt. O empresário Jorge Sestini, marido de Caroline, será indiciado …
2
05:30
Grávida aos 41 depois 30 sessões de quimioterapia
Beleza contra o câncer. Um diagnóstico que ninguém quer ouvir. 5 anos de tratamento contra um câncer de mama agressivo. Mastectomia dupla. O namorado …
3
03:57
Guru de Bolsonaro está nu
DIREÇÃO: Gilberto Dimenstein COMENTÁRIO: Gilberto Dimenstein CAPTAÇÃO: Daney Carvalho (DN|LC) EDIÇÃO: Daney Carvalho (DN|LC)
4
02:09
O PEIXE FEDEU PARA A FAMÍLIA BOLSONARO
5
07:22
Entenda o que é velha política
“Descomplicando” é um programa que discute as notícias e assuntos do momento, aprofundando e refletindo sobre seu significado e consequências …
6
03:32
MINISTRO DE BOLSONARO DEFENDE GUERRILHEIRA DILMA
7
04:47
TÁBATA DÁ UMA MARAVILHOSA LIÇÃO AO BRASIL DE BOLSONARO
8
03:27
Apropriação Cultural
Apropriação Cultural