CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Dimenstein: dei para Joice Hasselmann sua melhor aula de jornalismo

Resolvi transformara deputada numa cobaia para ensinar como enfrentar jornalistas desonestos

Por: Gilberto Dimenstein

Foi a melhor aula de jornalismo na vida de Joice Hasselmann.

Mas não sei se ela aprendeu.

De qualquer forma, foi sua melhor lição.

Uma técnica básica do jornalismo é simples: antes de publicar, checar a informação.

Crédito: Reprodução/InstagramJoice Hasselmann

Ouvir várias fontes.

Inclusive –e principalmente– o foco da sua informação.

Isso se chama ouvir o outro lado.

Quem não tem essa atitude, pode ser qualquer coisa –menos jornalista.

Afinal, nossa profissão tem como a busca da verdade.

Joice Hasselmann me acusou de ativista comunista.

Pedi uma prova, qualquer indício

Até desafiei: se ela mostrasse qualquer indício, eu escreveria um artigo dizendo que Bolsonaro é um bom presidente, exemplo de sensatez e equilíbrio.

Se escrevesse tal coisa, não poderia nem mesmo me olhar no espelho.

O que ela fez?

Não provou. Nem desmentiu.

Resolvi transformar Joice numa cobaia para ensinar como enfrentar jornalistas desonestos.

Fazer disso um caso que todo o país acompanhasse e expusesse a mentira.

Como se se vê na ilustração, quando se coloca no Google o nome da deputada, o que aparece em primeiro lugar são suas mentiras.

Ela, então, me processou –baseada em mais mentiras.

Quis tirar o artigo do ar.

Foi ainda pior: o juiz negou.

E, ainda por cima, considerou correta minha afirmação de que Joice Hasselmann cometeu fraudes, plagiando matérias no Paraná.

Foi expulsa do sindicato.

Ainda consegui provar que ela produziu ainda mais mentiras grosseiras para o juiz.

A lição está no seguinte: ela aprendeu que acusar sem provas pode sair caro. Muito caro.

Mas a lição ainda vai continuar: como ela está me processando por danos morais, baseada em mentiras, vou conseguir provar em juízo, baseado em documentos de lugares que ela trabalhou (Veja, por exemplo) sua desonestidade.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Por: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.