Dimenstein: é injusto o resultado do Datafolha de hoje sobre Bolsonaro

Como meus leitores estão cansados de saber, tenho profundas críticas a Jair Bolsonaro.
Ele é um misto de ignorância, arrogância com doses de desequilíbrio psicológico.
Daí que me sinto confortável para dizer que o resultado da pesquisa Datafolha divulgado hoje é injusto.
Quase 60% não viram nada de positivo nesses 6 meses de governo Bolsonaro.
O resultado é explicável: afinal, os brasileiros ainda não sentiram melhoria em seu bolso.
Sem contar as barbaridades cometidas pelo presidente – da defesa do trabalho infantil à afirmação de que não temos fome.
Em suma, é um fracasso de comunicação.
Mas acho que o resultado é injusto.
A reforma da previdência está muito longe do ideal. Privilégios foram mantidos.
É certo que o grande articulador da reforma é Rodrigo Maia, presidente da Câmara.
Também é certo que, não fosse Paulo Guedes, o presidente não iria propor essas mudanças tão radicais.
A reforma é ruim – e seria muito pior sem ela.
O Brasil quebraria.
Não seremos sustentáveis sem mexer nas aposentadorias.
A verdade é que esse iniciativa partiu do governo Bolsonaro – e deveria merecer crédito como algo positivo.