Estadão publica a lista dos piores tuítes de Jair Bolsonaro

Por: Redação

Jair Bolsonaro mostrou como um presidente consegue se eleger gastando muito pouco, quase nada, usando as redes sociais.
Virou um fenômeno mundial nas redes sociais.
Mas o que foi um sucesso eleitoral se transformou num fracasso governamental.
Muitos dos seus posts provocam mais danos – muito mais danos – do que benefícios.
Ajudam a explicar por que ele está despencando tanto e tão rapidamente nas pesquisas.
O Estadão revela uma pesquisa feita pelo jornalista Pedro Burgos, professor do Insper, que analisou os tuítes de Bolsonaro já presidente.
Foram analisados os impactos das postagens – as de mais repercussão são as que geram mais comentários negativos e arranham sua imagem.
O grande campeã foi o tuíte sobre o Carnaval – agora, aliás, obrigado a ser apagado.
Explica o Estadão:

Uma lei não escrita das redes sociais indica que os piores tuítes de alguém são os que têm maior proporção de respostas e comentários em relação à soma de retuítes e “likes”. É o que se chama de “ratio”, no jargão dos usuários e especialistas. Aplicada às postagens do presidente, essa metodologia indica que as maiores reações negativas ocorrem quando ele publica algo inserido no contexto de “guerra cultural” contra o que considera ideológico ou imoral.