CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Maravilhosa notícia no Google quando se coloca a palavra câncer

Por: Gilberto Dimenstein

Quando se digita a palavra câncer no Google, surge no topo das buscas uma excelente notícia.

É a imagem que se vê no topo desse post.

A notícia: cientistas estariam prestes a mostrar, ainda nesta ano, um medicamento que curaria todos os tipos de câncer.

É importante ler esse tipo de notícia com muita cautela.

Não se pode dizer que a notícia é Fake News.

Mas podemos suspeitar sobre excesso de otimismo.

Cura completa em um ano. É o que promete uma startup baseada em Israel, afirma o Jerusalem Post. “Acreditamos que poderemos oferecer dentro de um ano uma cura completa para o câncer”, afirma ao jornal Dan Aridor, presidente do conselho da Accelerated Evolution Biotechnologies (AEBI).

De acordo com Aridor, a cura terá benefícios em comparação aos tratamentos disponíveis na atualidade. Ele cita, por exemplo, “nenhum ou quase nenhum efeito colateral a um custo muito inferior do que a maioria dos tratamentos disponíveis”. O tratamento, afirma, seria de algumas semanas.

Fui comparar com comentários em outros veículos de comunicação. Pesquei esse comentário num site importante dos Estados Unidos, dizendo que, até agora, os testes foram feitos apenas em ratos – e ainda nem mostraram os resultados publicamente.

The company has not yet published any clinical evidence showing this treatment works in humans. CEO Ilan Morad told the Jerusalem Post that AEBi has only finished its first exploratory mice experiment, which he claims inhibited cancer cell growth.

O que se pode deduzir: a empresa pode ter até resultados promissores. Mas dos testes em ratos até humanos vai longo caminho.

A suspeita: o excesso de otimismo pode ser explicado pela vontade da empresa valorizar suas experiências e conseguir dinheiro.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Por: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.